Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Consumidor questiona reajuste em plano; veja outras reclamações

Aposentado afirma que não consegue falar com operadora para entender valor

Ana Paula Branco Havolene Valinhos

O aposentado Wilson Roberto dos Santos, 68 anos, da Vila Rosária (zona leste), diz que a TIM alterou o valor da fatura do seu plano, sem aviso prévio.

Notas e moedas de real
Divulgação/USP Imagens

De acordo com o consumidor, a mensalidade que era de R$ 49,99 passou a custar R$ 64,99. “Eu não fui consultado sobre essa mudança. Acho uma falta de respeito aumentarem o valor sem me avisar”, diz.

O consumidor relata ainda que não consegue ser atendido pela operadora, para saber o motivo do reajuste no plano. “Eu ligo, tento falar com eles, só que ninguém me atende. É um absurdo.”

TIM: 1056 ou *144

Boleto fica sem desconto após atraso

A TIM afirma que entrou em contato com o cliente e esclareceu que o desconto fidelizado permanece na fatura apenas quando o boleto é pago dentro do prazo de vencimento. Segundo a TIM, devido a 33 dias de atraso no pagamento, o desconto não foi concedido. “Resolveram. Paguei nesta sexta (7) a fatura com o valor normal”, disse o leitor.

Outras reclamações


Credz

O motorista Edson Vieira Barbosa, 48 anos, do Jardim Apurá, Pedreira (zona sul), conta que, após reclamar ao Agora, recebeu o cartão do Credz com a nova bandeira, mas faltou o segundo cartão. “Eles demoram para enviar os cartões, é sempre assim. Mandaram um, não entendo o motivo de não terem mandado o outro junto.”

Resposta A Credz esclarece que o Cartão Mundial Calçados Credz Visa solicitado pelo cliente foi entregue na quarta-feira (5), dentro do prazo informado. A empresa afirma que o cliente já realizou o desbloqueio e está com o cartão apto para uso.

Itaú 

A auxiliar administrativa Ana Paula Pereira Pontes, 42 anos, da Saúde (zona sul), reclama dos juros cobrados em seu cartão de crédito do Itaú. “A cobrança é abusiva. O banco afirma que estourei o limite, mas isso não procede.”

Resposta  O Itaú informa que a cliente efetivava pagamentos de valores menores do que o total da fatura desde a contratação do cartão, em 2018, acarretando na cobrança de encargos de atraso e financiamento, mas estornará os juros das faturas de maio e junho.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.