Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Árvore causa prejuízo em São Bernardo do Campo

Leitora diz que a prefeitura cobrou por danos causados em sua calçada; veja outras queixas

Laíssa Barros
São Paulo

A dona de casa Camila Rossi, 40 anos, de São Bernardo do Campo (ABC), reclama estar sendo cobrada pela prefeitura, pelo serviço de retirada de uma árvore na frente de sua calçada. Ela afirma que passou três anos solicitando a retirada.

“No começo do mês, a Enel veio até aqui e cortou os galhos mais altos da árvore e, no dia seguinte, a prefeitura cortou o restante e retirou o tronco. Logo em seguida, recebi notificação com uma multa de R$ 350 por não arrumar a calçada que a árvore destruiu.” 

Ela pediu o cancelamento da notificação, alegando não ter responsabilidade no caso, mas ainda não recebeu nenhuma resposta.

“A prefeitura veio aqui e arrumou somente o pedaço da calçada onde ficava a árvore e, agora, quer que eu pague pelo conserto do restante”, queixa-se.Além disso, Camila reclama também do serviço que foi feito pelos funcionários da Enel. “No momento da poda, os funcionários danificaram meu muro e meu portão”, conta a leitora. ​

Árvore caída na Rua Doutor Veiga filho, esquina com Av. Angélica. - Zanone Fraissat/Folhapress

Prefeitura diz que há outros danos no local

A Prefeitura de São Bernardo informa, por meio de nota, que realizou a retirada das raízes da árvore e fez o conserto na calçada. Segundo o órgão, os demais danos no passeio foram causados por motivos alheios à presença da árvore no local. Já a Enel afirma que entrou contato com a leitora e explicou como funciona o processo de indenização.

Veja outras reclamações

Itaú 

O desempregado Carlos Eduardo Ferreira Tanese, 59 anos, do Itaim Bibi (zona oeste), afirma que o banco Itaú entrou em contato com ele para fazer um acordo sobre um plano econômico, mas  nunca recebeu o pagamento combinado. “Ligo no banco e uma hora eles dizem que o valor está em análise, em outra, que ainda está em tratativa. Nunca consigo uma resposta definitiva”, diz ele. 

Resposta 

O Itaú informa, em nota enviada por assessoria, que a questão foi solucionada. O banco ressalta que entrou  em contato com o leitor e informou a disponibilização do valor. 


Motorola 

O estudante Samuel Cândido, de Guarulhos (Grande SP), conta que comprou um celular da Motorola e, desde então, a bateria do aparelho vem apresentando falhas. “Além disso, recentemente, o celular teve um problema e não liga mais. Entrei em contato com a empresa que me encaminhou para uma assistência, mas não resolveram nada”, conta o leitor. 

Resposta 

A Motorola informa que já está em contato com o cliente para solucionar o caso. “Querem que eu deixe o celular por mais de cem dias em uma assistência”, conta Cândido em novo contato com o Agora.

Dia 

O aposentado Ricardinho Ribeiro da Silva, 75 anos, da Vila Caiúba (zona oeste), conta que passou por uma situação desagradável no supermercado Dia de Perus. “Eu estava com um remédio em uma sacola e, como não tinha guarda-volumes, entrei com ela no carrinho. Um atendente viu e achou que eu estava furtando. Ele pegou a sacola, sem perguntar nada, e revirou tudo. Achei uma injustiça”, diz ele. 

Resposta 

O Dia informa, em nota, que entrou em contato com o cliente e esclareceu a situação.

Net

"Em outubro de 2018, cancelei os serviços que tinha com a Net, mas, todos os meses, mandam um email dizendo que tenho um valor em aberto. Em novembro, retiraram até os equipamentos. Acho uma falta de respeito com o consumidor", diz José Gladiador, 57 anos

Resposta 

A Net informa que entrou em contato com o cliente e esclareceu as questões citadas. A operadora diz ainda estar à disposição. (HV)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.