Concursos da Polícia Civil são investigados por fraude

Ministério Público apura vazamentos em seleções para escrivão e investigador

Laísa Dall'Agnol
São Paulo

O Ministério Público de São Paulo abriu um inquérito para investigar denúncias de irregularidades nos concursos para escrivão e investigador de polícia, da Polícia Civil, ocorridos em 2018.

Segundo o documento, as principais fraudes seriam o vazamento de informações e o favorecimento de candidatos na prova oral, com níveis diferentes de dificuldade aplicados para cada um.

Um dos fatos que chamou a atenção dos investigadores foi a descoberta de um anúncio de uma “excursão” oferecendo hotel e hospedagem para a prova antes da divulgação da data.

Academia de Polícia Acadepol
Academia de Polícia de São Paulo, no Butantã, zona oeste - Reprodução

De acordo com o Ministério Público, um professor da Acadepol (Academia de Polícia) estaria envolvido no vazamento, além de outros membros da corporação.

O órgão aponta que, entre outras irregularidades, está a publicação dos resultados dos concursos com nome e nota apenas dos candidatos aprovados, ou seja, sem a divulgação do desempenho dos reprovados.

Denúncias como formulação de questões não relacionadas ao conteúdo previsto no edital e a ausência de um órgão “independente”, que fiscalize o processo, também foram feitas.

O Ministério Público afirma que, caso as fraudes sejam comprovadas, o concurso poderá ser anulado e as pessoas envolvidas podem responder por improbidade administrativa e até sofrer processos criminais.

A Polícia Civil diz que ainda não foi notificada e que “não compactua com quaisquer desvios de conduta”.

A Fundação Vunesp, que juntamente com a Acadepol aplica as provas, afirma que, devido ao contrato firmado, não está autorizada a comentar o assunto.

O concurso da Polícia Civil de 2018 ofereceu 2.750 vagas para os oito cargos da corporação, sendo 600 para a função de investigador e 1.400 para a de escrivão.

Denúncias em duas seleções | Entenda

  • O Ministério Público de São Paulo investiga supostas irregularidades nos concursos para escrivão e investigador da Polícia Civil de 2018
  • Segundo as denúncias, teriam ocorrido vazamentos de questões das provas e privilégios de candidatos na fase de perguntas orais

​Denúncias

Dentre as denúncias, há uma que diz que a data oficial da prova dissertativa para o concurso de escrivão foi divulgada antecipadamente por uma pessoa que estaria participando da organização e elaboração da 2ª fase

O que pode ocorrer?

Segundo o Ministério Público, se as fraudes forem comprovadas, o concurso pode ser anulado e as pessoas envolvidas no vazamento podem responder por improbidade administrativa e sofrer processos criminais

Efetivo da Polícia Civil

  • Somados, os cargos de investigador e escrivão correspondem a 59% do efetivo total da Polícia Civil atualmente
  • Há 9.058 investigadores e 6.126 escrivães na corporação 
  • Contabilizando todos os cargos da Polícia Civil, há 25.899 profissionais ativos, atualmente

Fontes: Ministério Público de SP e Tribunal de Contas do Estado de São Paulo

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.