Loja online tem 129 vagas temporárias em São Paulo

Contrato para trabalhar na capital terá duração de 90 dias e poderá ser prorrogado

Fernanda Brigatti
São Paulo

A rede de comércio pela internet Netshoes está selecionando trabalhadores para 129 vagas temporárias na capital e em Barueri (Grande SP). Em todo o país, a empresa quer contratar 600 pessoas. Os postos de trabalho foram gerados pela promoção batizada de "Black November", na qual as lojas Netshoes, Zattini e Shoestock estendem por todo o mês o período de promoções.

Para trabalhar na capital, são 90 vagas de agente de relacionamento. Os escolhidos vão atuar no atendimento ao cliente, auxiliando os consumidores na escolha de produtos e quanto à navegação do site, além de prestar informações sobre prazo. Para concorrer, não é necessário ter experiência. A empresa pede ensino médio completo e disponibilidade para trabalhar aos fins de semana.

O contrato terá duração de 90 dias e início no dia 4 de novembro. A Netshoes diz que há possibilidade de renovação por outros 90 e não descarta a efetivação. Os salários não foram divulgados, mas a empresa informou que paga vale-transporte e vale-refeição.

Em Barueri, as 39 chances são para operador logístico. Quem for escolhido trabalhará no centro de distribuição da companhia. 

Terão prioridade os candidatos que tenham experiência em logística, embalagem, separação, armazenagem e recebimento, mas candidatos sem experiência também serão considerados. É necessário ter flexibilidade de horário.

O contrato terá duração de um mês, a partir de 11 de novembro. O salário dessa função também não foi divulgado, mas a empresa diz que haverá refeição no local e vale-transporte.

O link para cadastrar os currículos é o jobs.kenoby.com/gruponetshoes. Nessa página, os candidatos conseguem ver também a relação de outras vagas disponíveis nas empresas do grupo, bem como as exigências nessas outras funções.

Mesmo quem não se interessar por nenhuma vaga listada na página pode cadastrar um currículo.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.