Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Paciente aguarda consulta na AACD

Leitora afirma que foi atendida pela última vez em agosto de 2016 na entidade e, até o momento, espera por uma vaga

Havolene Valinhos
São Paulo

A dona de casa Ana Paula Pereira da Silva, 25 anos, do Jardim Vista Alegre (zona norte), diz que faz tratamento na AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) desde o nascimento. Ela tem a síndrome de Larsen —rara desordem de origem genética, que afeta o desenvolvimento dos ossos. Porém, diz que há quase três anos não passa em consulta na instituição. 

A dona de casa Ana Paula Pereira da Silva, do Jardim Vista Alegre (zona norte), conta que sente muitas dores nas costas e precisa de tratamento
A dona de casa Ana Paula Pereira da Silva, do Jardim Vista Alegre (zona norte), conta que sente muitas dores nas costas e precisa de tratamento - Martha Salomão/Folhapress

“Em 2016, quando fui atendida pela última vez, disseram que eu estava na lista de espera para ser atendida pelo médico ortopedista para tratar a escoliose e fazer fisioterapia. No entanto, todas as vezes que liguei lá durante esse período apenas diziam que era para aguardar, uma vez que eles que entrariam em contato para avisar sobre o agendamento.” 

Ana Paula relata que entrou em contato com a AACD para tentar mais uma vez marcar uma avaliação e descobriu que tinha sido desligada. “Disseram que os motivos seriam porque eu já tinha 25 anos e por ter faltado em consulta no dia 6 de agosto com o especialista em má-formação. Porém, nunca fui informada sobre esse agendamento.”

A dona de casa diz sentir muita dor nas costas e precisar de tratamento urgente. “Eles querem que eu passe no posto de saúde para pegar uma transferência de regulação, sendo que a assistente social disse que não é necessário. Isso é um absurdo. Peço a intervenção do Defesa do Cidadão.”

AACD: (11) 5576-0975

Retorno só é marcado via SUS 

A AACD esclarece que Ana Paula passou, em 2016, em consulta na unidade Ibirapuera pela última vez, e que foram registradas duas faltas dela em consultas agendadas, nos dias 6 de agosto de 2018 e no último dia 3.

A instituição afirma que os pacientes que há mais de dois anos não passam em consulta só podem retornar via agenda regulada da Secretaria Municipal de Saúde, ou seja, devem ser encaminhados à AACD por meio do SUS. A leitora disse que passaram o horário incorreto da consulta no dia 3.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.