Inflação das carnes é maior em São Paulo do que no país

Cortes bovinos tiveram alta de 10% no estado de SP em novembro; no país, aumento foi de 8,09%

São Paulo

O preço das carnes bovinas tem pesado mais no bolso dos consumidores do estado de São Paulo do que no restante do país, segundo o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), divulgado nesta sexta-feira (6) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O índice de preços, que é a inflação oficial, mostra que, em novembro, as carnes subiram 10,01% em São Paulo. No país, a alta foi de 8,09%. Há cortes que tiveram um aumento bem mais expressivo, como é o caso do coxão mole, por exemplo. Em São Paulo, a elevação foi de 18,71% no mês; no país, a alta foi de 12,49%.

Patinho e lagarto comum também tiveram grandes elevações. O primeiro corte subiu 10,22% no país e 15,76% em São Paulo, em novembro. Já o lagarto teve alta de 10,92% e de 12,51%, respectivamente.

Os dados do IBGE mostram ainda que a inflação geral do país teve alta 0,51% em novembro, o maior resultado para o mês desde 2015, puxado justamente pela alta das carnes. No ano, o IPCA está em 3,12% e, em 12 meses, em 3,27%. Já no estado de SP, a inflação mensal foi de 0,7%. No ano, o índice está em 3,63% e, em 12 meses, em 3,66%.

O valor das carnes não deve cair tão cedo, dizem os especialistas. Com isso, não só o churrasco de Natal ficará bem mais caro, mas as idas a bares e restaurantes também. Segundo o presidente da regional de São Paulo da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), Percival Maricato, não há como não repassar o aumento ao consumidor.

"Não tem como não repassar. O que pode haver é uma tendência dos restaurantes de separar o preço dos produtos", diz ele, explicando que, cada vez mais, estabelecimentos estão cobrando um valor maior no preço do quilo quando há churrasco. 

O assessor econômico da FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), Guilherme Dietze, diz que o repasse dos valores maiores tem sido imediato, principalmente nos bares e restaurantes que têm a carne como produto principal, como é o caso das churrascarias e hamburguerias. 

Segundo ele, como não há perspectivas de queda do valor da carne nos próximos seis meses, o único caminho para o consumidor é fazer substituições. "A inflação demonstra um aumento médio, isso quer dizer que há carnes que subiram mais e outras, menos. Cabe ao consumidor procurar opções e variar."

Nem todos perdem

A disparada no preço da carne está diretamente ligada ao aumento das exportações, principalmente para a China. Além disso, com a alta no preço do dólar, os produtores optam por vender mais para o mercado externo, deixando desabastecido o mercado interno.

Para Artur Bueno de Camargo, presidente da CNTA (Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação), faltou ao governo federal um preparo, já que, além do aumento das exportações para a China e da alta do dólar, o país passa por um período de entressafra.

Segundo ele, o setor que representa, com cerca de 350 mil funcionários, está tendo altos lucros, o que deverá ser motivo de pressão dos trabalhadores da categoria na negociação salarial, que começará no ano que vem.

O sindicalista diz que houve aumento da produção e os profissionais precisam ser remunerados por isso.  "Nós estamos preparando uma pauta nacional, que será lançada em março. Com relação ao aumento do preço, estamos acompanhando isso de perto e mobilizando os trabalhadores, pois as empresas estão obtendo um lucro significativo", afirma.

Veja o aumento de preços, em % | Em novembro

Item No país Em SP
Carnes em geral 8,09 10,01
Carne de porco 3,35 3,7
Contrafilé 9,67 14,07
Coxão mole 12,49 18,71
Alcatra 9,3 8,74
Patinho 10,22 15,76
Lagarto comum 10,92 12,51
Músculo 6,86 4,12
5,8 8,11
Acém 5,98 5,45
Costela 7,05 8,48
Aves e ovos 0,36 1
Frango inteiro 0,28 1,59
Frango em pedaços 0,34 1,14
Ovo de galinha 0,53 0,01

Veja o aumento de preços, em % | No ano de 2019

Item No país Em SP
Carnes em geral 12,15 12,91
Carne de porco 13,73 14,79
Contrafilé 8,71 8,09
Coxão mole 14,63 19,43
Alcatra 10,03 7,83
Patinho 11,94 13,9
Lagarto comum 12,36 11,41
Músculo 11,51 10,58
12,38 13,34
Acém 13,59 13,19
Costela 14,18 15,26
Aves e ovos 8,93 11,96
Frango inteiro 6,79 9,35
Frango em pedaços 11,31 13,98
Ovo de galinha 9,43 11,34

Veja o aumento de preços, em % | Em 12 meses até novembro

Item No país Em SP
Carnes em geral 14,43 16,07
Carne de porco 14,87 18,26
Contrafilé 12,92 15,39
Coxão mole 16,95 21,95
Alcatra 14,56 14,56
Patinho 14,67 18,34
Lagarto comum 16,77 18,66
Músculo 11,72 11,33
13,97 13,23
Acém 13,87 13,65
Costela 14,53 14,06
Aves e ovos 9,82 13,97
Frango inteiro 8,03 11,61
Frango em pedaços 12,66 15,94
Ovo de galinha 8,84 13,14

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.