Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Cliente diz que Enel faz cobrança indevida na luz

Podóloga afirma que consumo de energia é de R$ 110, mas conta vem com o triplo

São Paulo

A podóloga Goreti Aparecida Carreira, 56 anos, do Butantã (zona oeste), afirma que, nos últimos dois meses, recebeu contas acima de R$ 300, quando a média de seu consumo é R$ 110. Desde então ela solicita a correção para a Enel, mas diz que não é atendida.

A leitora relata que, em fevereiro, recebeu a conta de luz sem valor. “O leiturista disse que iria para análise e, em dez dias, retornariam, o que não fizeram. Acessei o aplicativo da concessionária da energia e me deparei com uma conta de R$ 309,63”, conta ela.

Goreti Aparecida Carreira solicita correção de faturas para Enel - Arquivo pessoal

Goreti afirma que, no dia 4 de março, entrou em contato com a central de atendimento da Enel para registrar reclamações.

“Deram o protocolo. No dia 15 de março, na nova leitura, o funcionário da Enel esteve na minha casa, porém entregou outra conta em branco, dizendo que iria para análise”, afirma.

A podóloga diz que telefonou no mesmo dia para Enel, quando foi informada de que não havia protocolo anterior. “A atendente afirmou que abriu outro protocolo e, que em cinco dias, retornariam, o que mais uma vez não ocorreu.”

A leitora relata que resolveu acessar o aplicativo novamente e, para sua surpresa, constatou mais uma conta no valor de R$ 309,91. “Tenho uma média de consumo no valor de R$ 110. Tentei falar na ouvidoria, mas quando digito todos os protocolos que tenho, diz que não são válidos.”

Goreti afirma que tentou atendimento presencial, o que também não foi possível. “Como resolver isso?”, questiona.

Contas de luz são corrigidas

A Enel Distribuição São Paulo informa que, após análises, identificou uma inconsistência no momento das leituras e revisou as faturas de fevereiro, para R$ 83,25, e março, para R$ 103,10.

A concessionária diz ainda que as faturas revisadas foram encaminhadas para o email da cliente cadastrado em sistema.

Em novo contato com o Agora, a leitora afirmou que a distribuidora corrigiu as faturas. “Agradeço o apoio do Defesa do Cidadão em resolver essa questão.”

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.