Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Leitor solicita reparo em frente a sua casa no ABC

Morador de São Bernardo do Campo diz que obra estragou sua calçada

Juca Guimarães
São Paulo

O comerciante Luiz Alves de Andrade, 76 anos, mora há 21 anos na avenida José Odorizzi, em São Bernardo do Campo (ABC), e reclama da mudança que fizeram em sua calçada por causa de uma obra na via.

Segundo ele, em 2015, uma obra de duplicação da avenida chegou até a frente de sua casa. Cerca de cinco meses depois, a calçada foi quebrada para alargar a avenida. Andrade conta que, na época, foi feita uma vistoria nas casas por conta de alguma indenização futura por dano e ele diz ter sido informado pela gestão pública que a calçada seria reparada como era antes.

“Tiraram fotografias da casa toda, inclusive, da calçada original”, relata ele. Mas, após o termino da obra, no final de 2015, a calçada não foi restaurada com o mesmo piso que existia antes, reclama o leitor. O calçamento original foi feito por Andrade, em 2000, de pedra miracema com ardósia.

Arquivo pessoal

“Depois que fizeram a obra na avenida e alteraram o piso, a calçada ficou horrível, começou a soltar as pedras que colocaram. Uma pedra solta e passa alguns dias e já solta outra também. É até perigoso. Fizemos várias reclamações, mas a prefeitura não arrumou”, diz o comerciante.

O morador afirma que, mesmo sem uma resposta sobre quando será feito o serviço, continua tentando contato. “Já que esse calçamento não está funcionando, poderiam voltar com o que tinha antes, o que eu fiz. Fiquei desapontado quando não colocaram ele no lugar, como prometido”, reclama o comerciante ao Agora.

Serviço seguiu a lei, diz gestão

Em nota enviada ao Defesa do Cidadão, a Prefeitura de São Bernardo, por meio da Secretaria de Transportes e Vias Públicas, informa que o reparo em frente ao imóvel já foi realizado. A gestão afirma ainda que a reparação da calçada atendeu às normas previstas no Código de Posturas Municipal, tratado por meio da lei municipal nº 4.974, onde é estipulado que, visando a segurança do pedestre, o passeio público deve ser realizado em “material cimentado, desempenado e antiderrapante”.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.