Civic Si é a versão nervosa do médio da Honda

Cupê traz motor 1.5 turbo de 208 cv para andar forte e chamar a atenção

Fernando Pedroso
São Paulo

A atual geração do Honda Civic ganhou um visual esportivo, com traseira inclinada remetendo a um cupê, mas só a lembrança não é suficiente para a versão Si.

A opção esportiva tinha que ser mais exclusiva e, por isso, a Honda optou por importar a carroceria cupê, de duas portas, para chamar muita atenção nas ruas.
 

A frente é praticamente a mesma da versão Touring do sedã, com faróis de LED, mas com para-choque exclusivo com entradas de ar maiores.

As laterais, claro, são bem diferentes. Sem as portas traseiras, o teto é mais baixo e tira espaço do banco traseiro, mas essa não é a prioridade do modelo.

A parte de trás usa lanternas em “C”, como no Civic sedã, mas ligadas na parte de cima, coberta por um aerofólio. O escape central completa o visual do Si.

Por dentro, o Civic cupê tem bancos em formato de concha com costuras vermelhas. As linhas também estão no volante e na manopla do câmbio. A cor se repete nas luzes do painel.

Da versão Touring a Honda usou também o motor 1.5 turbo, mas ao invés dos 173 cv do sedã, o cupê Si chega aos 208 cv. O ponto alto é que, ao invés do câmbio automático, a opção foi por uma transmissão manual de seis marchas, um convite para quem gosta de dirigir.

Além de torcer pescoços, o esportivo anda forte. O torque de 26,5 kgfm aparece aos 2.100 rpm, que é quando o turbo faz o motor 1.5 acordar e arrancar com rapidez. O câmbio de encaixes fáceis e curso curto facilita as trocas. Em 7,2 segundos já se chegou aos 100 km/h, segundo a fabricante.

Custa R$ 162.900 e o comprador pode escolher entre o vermelho testado pelo Agora e que aparece nas fotos, branco, preto ou azul.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.