Toyota renova o visual do Prius ainda sem motor flex

Híbrido prepara o terreno para a chegada da nova geração do Corolla

Fernando Pedroso
São Paulo

A aguardada chegada do novo Toyota Corolla deve acontecer ainda neste ano com motorização flex híbrida, mas enquanto ele não vem, a marca resolveu mexer no Prius.

E as mudanças são praticamente no visual. O aguardado motor que pode usar gasolina ou álcool foi reservado para o sedã.

O desenho do modelo continua controverso, mas ganhou mudanças nos faróis, no capô e no para-choque. Atrás, as lanternas são novas, assim como a tampa do porta-malas. As rodas também foram trocadas e ganharam acabamento escurecido.

O bagageiro ficou maior, com 30 litros a mais, totalizando 442 l, devido ao novo estepe temporário reforçado e mais fino.

Por dentro, o híbrido tem painel e revestimentos pretos, nova central multimídia com recursos de toques simultâneos. O usuário pode dar zoom no mapa do GPS fazendo movimento de pinça, como em um celular.

Por falar em telefones, o equipamento ficou devendo conexão para sistemas Android e Apple.

Além das mudanças visuais, o interior do Prius ficou mais confortável, segundo a marca, graças ao banco com ajustes elétricos de oito posições. O antigo tinha quatro. O painel passa a fornecer, além de todas as informações presentes no modelo anterior, detalhes sobre a pressão dos pneus.

O novo Prius estará disponível a partir do início de agosto nas concessionárias de todo o Brasil por R$ 128.530.

O motor a gasolina continua sendo o 1.8 16V e um elétrico abastecido por baterias que não precisam ser recarregadas. O próprio motor a combustão se encarrega disso. O conjunto é capaz de gerar 122 cv de potência.

De acordo com o Inmetro, ele alcança 18,9 km/l em ciclo urbano e 17 km/l em ciclo rodoviário.
Atualmente, o Prius possui isenção de 50% no IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor) da cidade de São Paulo, além da isenção do rodízio. Para quem emplacar em São Bernardo do Campo (ABC), o desconto é de 25%.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.