Creta e HR-V entre o menor preço e o menor consumo

Mais barato e de visual novo, Hyundai enfrenta o Honda com motor mais econômico

Fernando Pedroso
São Paulo

As versões topo de linha de Hyundai Creta e Honda HR-V receberam novidades nos últimos meses. O Creta foi reestilizado, com nova frente e lanternas traseiras e mais equipamentos.

O HR-V recebeu motor turbo em sua cara opção mais alta da linha, a Touring. Custa R$ 139.900 sem oferecer grandes diferenças em relação ao Creta Prestige de R$ 107.990, além, claro, do eficiente 1.5 turbinado de 173 cv movido a somente a gasolina com câmbio CVT que simula sete marchas.

O Hyundai usa um 2.0 flex de até 166 cv com transmissão automática de seis velocidades. O desempenho dos dois, guardadas às características de cada motor, é bem parecido.

A vantagem do Honda está no consumo. Como no teste do Agora os combustíveis eram diferentes (álcool no Creta e gasolina no HR-V), o considerado é o medido pelo Inmetro. Segundo o instituto, o Honda faz 11,5 km/l na cidade e 14,6 km/l na estrada. O Creta faz, respectivamente, 10 km/l e 11,4 km/l.

Mas, em equipamentos e espaço, os dois se equivalem. Ambos contam com seis airbags, controles de tração e de estabilidade, ar-condicionado automático, tela multimídia de 7" com conexão de celulares, rodas 17", bancos de couro claro, chave presencial e lanternas de LEDs, entre outros.

O espaço interno é ligeiramente maior no Honda, mas o porta-malas dele é menor, com 393 litros contra 431 l do Creta.

Outro ponto positivo do Honda é o conforto do ajuste da suspensão e o maior silêncio à bordo.
Favorece ao Hyundai, nos dias quentes, o banco do motorista ventilado. Nos dias frios, no entanto, nenhum dos SUVs oferece aquecimento dos assentos.

Ambos possuem cores claras nos bancos e no painel. O Creta usa tons de marrom, que tende a sujar menos do que o couro bege do HR-V Touring, que tem acabamento melhor.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.