Vídeo mostra roubo em galeria de SP; 23 lojas são atacadas

Bando fez ao menos cinco reféns durante ação. Cabelos e roupas são levados

Alfredo Henrique
São Paulo

Ao menos 23 lojas foram roubadas, na madrugada desta quinta-feira (23), em uma galeria na República (região central de SP). Segundo lojistas ouvidos pela reportagem, este é o sexto crime do tipo que ocorre no local desde o início do ano passado. Ao menos cinco pessoas foram feitas reféns. Ninguém se feriu. 

Ao menos 23 lojas foram furtadas, na madrugada desta quinta-feira (23), em uma galeria na República (região central de SP). Segundo lojistas ouvidos pela reportagem, este é o sexto crime do tipo que ocorre no local desde o início do ano passado - Alfredo Henrique/Folhapress

Segundo uma comerciante, cerca de dez criminosos renderam o vigia e dois faxineiros do Centro Comercial Presidente, por volta das 5h. As circunstâncias em que o trio foi feito refém ainda não foram esclarecidas. “Depois que renderam o segurança, os bandidos entraram com um carro na galeria”, disse a lojista.

A reportagem apurou que os criminosos começaram a invadir as lojas pelo subsolo do local, que é popularmente conhecido como Galeria do Reggae. Todas as vítimas foram ouvidas pelo Agora em condição de anonimato.

Imagens feitas por uma câmera de monitoramento mostram o momento em que um ladrão abre a porta de uma loja, de cabelos naturais, com uma chave mixa (que destrava qualquer tipo de fechadura).

Após abrir o comércio, quatro criminosos entram no local, calmamente, e começam a retirar apliques de cabelo que estavam em exposição. Lojistas afirmaram que o quilo do produto está avaliado em cerca de R$ 1 mil. A quantidade de cabelos levada não foi informada. 

A mesma câmera mostra ladrões levando roupas e tênis de outro estabelecimento, que fica em frente à loja de cabelos. Segundo um funcionário, foram roubados ao menos R$ 35 mil em produtos de vestuário do local.

O bando, sempre com calma, também roubou lojas no primeiro, segundo e terceiro andares da galeria. Em um dos estabelecimentos, foram levados 25 mil dólares, que eram guardados no local por um comerciante. A maioria das vítimas é de origem africana. 

Por volta das 6h, dois funcionários de lanchonetes entraram nos estabelecimentos para começar o dia de trabalho. Os ladrões perceberam, renderam as duas vítimas e também as mantiveram como reféns.

Toda a ação criminosa durou entre uma hora e uma hora e meia. Em seguida, os ladrões fugiram. Eles abandonaram no local sacos cheios com roupas, que não couberam em um dos carros usados para fugir.

A reportagem não conseguiu confirmar quantos veículos foram usados ao todo pelo bando.

Seis crimes em um ano

Uma comerciante afirmou que, desde o início do ano passado até esta quinta-feira (23), ocorreram ao menos seis roubos dentro da galeria do Reggae. “Em meu comércio, entraram quatro vezes já”. No caso desta quinta, a loja dela não foi alvo dos criminosos.

“Já aconteceu também de bandidos, com armas, anunciarem assalto, renderem funcionários, e levarem cabelos que estavam à venda”, acrescentou.

A mulher disse ainda que, por conta da sensação de insegurança, não deixa mais produtos na loja quando fecha as portas. “Levo para casa todo dia os cabelos e trago de volta no dia seguinte.”

Resposta

A SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB), afirmou que o caso é investigado pelo 3º DP (Campos Elíseos). "A síndica do edifício foi ouvida durante a elaboração do boletim e o setor de investigação trabalha em busca de câmeras de monitoramento que possam auxiliar na identificação dos autores", diz trecho de nota. 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.