Eletricistas andam com boletim para provar que não são bandidos

Eles trabalham para empresa de energia em Santos e foram vítimas de 'fake news'

Alfredo Henrique

Dois eletricistas de Santos (72 km de SP) trabalham levando boletins de ocorrência no bolso, para provar que não são ladrões. Ambos registraram o documento depois de serem vítimas de uma "fake news" (notícia falsa) nas redes sociais. Eles são terceirizados da CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz).

Segundo José Nilton da Mota Lima, 33 anos, ele e o colega de trabalho foram fazer um serviço, em um condomínio no bairro Embaré, no último dia 7. Foram ao local para verificar se o fornecimento de energia em um apartamento havia sido cortado, por conta de inadimplência. "Porém, a responsável pelo apartamento não nos atendeu. Esperamos dez minutos em frente à portaria. Como tínhamos outros serviços, fomos embora", relatou Lima. 

O tempo em que ele e Robson Oliveira Santos, 40, ficaram no local foi registrado por câmeras de segurança. As imagens foram compartilhadas afirmando que eles eram ladrões.
Os dois eletricistas foram alertados sobre a "fake news" por um amigo. "Estamos assustados, pois podemos ser vítimas de violência na rua", afirmou Santos. 

O advogado deles, Leandro Weismann, disse que vai processar o prédio. A CPFL disse que tomou medidas jurídicas. A reportagem procurou o condomínio, mas ninguém atendeu.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.