Polícia vai investigar explosão que atingiu prefeito de Osasco

Rogério Lins e a primeira-dama acendiam uma fogueira quando ocorreu acidente

Leonardo Zvarick

A Polícia Civil vai investigar as causas da explosão no acendimento de uma fogueira, na noite de sexta-feira (28), que atingiu o prefeito de Osasco (Grande SP), Rogério Líns (Pode), e a primeira-dama, Aline Lins.

O Instituto de Criminalística deve comparecer ao local da fogueira nesta semana para perícia técnica.

Rogério Lins, prefeito de Osasco, é atingido por explosão de fogueira em festa junina. Foto TV Globo/Reproducao

O prefeito e a primeira-dama foram transferidos na manhã deste sábado (29) da emergência para os quartos do hospital municipal Antônio Giglio. Os dois foram internados na noite de sexta.

Eles foram atingidos pelas chamas de uma fogueira que explodiu durante festa junina promovida pela prefeitura, e tiveram queimaduras de 1º e 2º grau em 14% do rosto e braços, segundo boletim médico divulgado pouco depois da internação.

Em uma postagem em suas redes sociais, Lins disse que ele e a mulher passam bem. "Espero poder voltar às atividades o mais rápido possível", afirmou. 

Além do casal, um fotógrafo e um cinegrafista da equipe do prefeito também tiveram ferimentos leves, mas não foram internados. 

Segundo a prefeitura, o quadro dos pacientes é estável. Eles passaram por procedimentos como a troca de curativos e nova avaliação médica neste sábado.

A gestão municipal também disse que a fogueira é tradicional no Arraiá do Servidô, que sempre foi montado e organizado pela mesma pessoa. "O evento foi organizado pela Arena VIP, espaço que conta com AVCB, Brigada de Incêndio e toda a estrutura necessária para receber o público", disse.

Procurada neste sábado pela reportagem, a Arena VIP de Osasco, uma casa de eventos, afirmou que não iria se manifestar.

O acidente ocorreu no momento em que o casal acendia a fogueira, com uma tocha. Aproximadamente 2.000 pessoas participavam da festa no momento da explosão.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.