Sem tratamento, caxumba pode causar infertilidade em jovens

Doença que afetou o atacante Richarlison, da seleção, é muito contagiosa e requer cuidados

William Cardoso

A caxumba é uma doença que raramente causa graves complicações, mas pode levar adolescentes à impotência ou à infertilidade, entre outros problemas, caso não seja bem tratada. Na fase adulta, o principal transtorno é afastar a pessoa do trabalho até o completo restabelecimento, como aconteceu recentemente com o atacante Richarlison, da seleção brasileira, afastado do elenco que disputou a Copa América.

Paciente deve tomar vacina tríplice viral para evitar a caxumba - Rubens Cavallari - 4.mai.19/Folhapress

Segundo especialistas, há um motivo evidente para que a pessoa que contraiu a doença fique longe do trabalho. “A forma de contágio é por microgotículas e é altamente contagiosa, podendo passar de pessoa a pessoa. Quem foi infectado pode demorar de duas a três semanas para desenvolver os sintomas”, explica o Médico pediatra e neonatologista Nelson Douglas Ejzenbaum.

“Em caso de caxumba, o paciente deve ser isolado por nove dias. Os objetos tocados devem ser limpos, e os contactantes devem sofrer vacinação de bloqueio para não passar para outros”, completa Ejzenbaum.

Segundo o pediatra, as manifestações iniciais da caxumba são dores de cabeça, mal estar e dores no corpo seguidas do edema ou inchaço das glândulas parótidas. Os sintomas podem aparecer de 12 a 25 dias após o contágio e todas as pessoas que não foram vacinadas, em qualquer fase da vida, estão suscetíveis a contrair o vírus.

Para evitar o contágio, a única recomendação possível é que a pessoa seja vacinada com a tríplice viral, disponível na rede pública municipal durante todo ano.

Surtos

A capital já teve nove surtos de caxumba neste ano somente até o último dia 16 de junho, segundo a Covisa (Coordenação de Vigilância Sanitária). Em meio a esses surtos, foram registrados 37 casos da doença.

No ano passado inteiro, a capital teve 23 surtos e 115 casos da doença. A Covisa ressalta que os casos de individuais de caxumba não são de notificação compulsória (somente os surtos são).

Segundo a Covisa, a recuperação costuma ser simples. Para o tratamento, são indicados repouso, medicamentos para dor e temperatura e observação cuidadosa, para a possibilidade de aparecimento de outras complicações. “A maioria dos casos de caxumba tem recuperação natural e progressiva em até duas semanas. O médico deve sempre ser consultado em caso de dúvidas ou surgimento de outros sintomas”, diz a vigilância.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.