Culpado ou inocente? Saiba onde ver filmes de tribunal clássicos

Dúvidas e reviravoltas são alguns ingredientes dos filmes de tribunal

BAÚ DO CINEMA

Hanuska Bertoia
São Paulo

Chega a hora de uma testemunha falar. Pressionada pelo promotor, ela muda sua versão, e o julgamento toma outro rumo. A cena poderia muito fazer parte de um filme de tribunal, cheio de reviravoltas, dúvidas e suspense.

Cena de Doze Homens e Uma Sentença
Cena do filme "Doze Homens e Uma Sentença" - Divulgação

Um dos longas mais conhecidos do gênero é “Doze Homens e Uma Sentença”, de 1958, dirigido por Sidney Lumet. O filme se passa nos bastidores do julgamento, quando o júri, composto pelos 12 homens do título, se reúne para decidir o futuro do réu, um adolescente latino acusado de assassinato. Onze dos jurados votam pela condenação à morte, e apenas um deles acha que o rapaz é inocente. O filme, então, nos conduz pela tentativa deste jurado de convencer seus pares de que há dúvidas sobre a culpa do réu. Preconceito, ética, verdade e questões sociais permeiam as discussões. Nada mais atual nos nossos tempos.

“Testemunha de Acusação”, de Billy Wilder, é baseado em um conto de Agatha Christie. O filme, de 1957, é estrelado por Marlene Dietrich e Tyrone Power e conta a história do julgamento de um acusado de assassinato. A trama tinha tantas surpresas que, na campanha publicitária do lançamento e no próprio filme, havia pedidos para que o público não contasse o final da história.

Em “O Vento Será Tua Herança”, de 1960, acompanhamos dois advogados que defendem um professor processado por ensinar a Teoria da Evolução. A obra é baseada na história real de um docente do Tennessee, acusado em 1925. É um filme para ser revisto hoje, quando surgem grupos como os terraplanistas, que põem em dúvida a ciência.

Os tribunais do cinema também foram palco para vitórias das mulheres e dos gays.  Em “Acusados”, de 1986, Jodie Foster interpreta uma vítima de estupro coletivo em um bar. Ela luta para levar a julgamento, além de seus agressores, homens que incentivaram o ataque ou que nada fizeram diante do crime. A atriz ganhou seu primeiro Oscar pelo papel. 

Já em “Filadélfia”, dirigido por Jonathan Demme, Tom Hanks é um advogado gay que tenta provar ter sido demitido por ser portador do vírus HIV. Para isso, contrata um advogado homofóbico, vivido por Denzel Washington, o único profissional que aceita enfrentar o poderoso escritório de advocacia em que o personagem de Hanks trabalhava. Dois filmes atualíssimos.

Outro longa importante, mas que infelizmente não está disponível nos serviços de streaming, é “O Sol é Para Todos”. Adaptação do livro de Harper Lee, o filme se passa durante a Depressão, no sul americano, e mostra um advogado defendendo um negro de uma acusação de estupro. Na falta do filme, vale a pena ir à fonte original, o livro.

ONDE VER

DOZE HOMENS 
E UMA SENTENÇA

iTunes: R$ 11,90 (aluguel) 
e R$ 24,90 (compra)
Telecine Play: para assinantes

TESTEMUNHA DE ACUSAÇÃO
iTunes: R$ 11,90 (aluguel) 
e R$ 24,90 (compra)

O VENTO SERÁ TUA HERANÇA
americanas.com.br: DVD por R$ 45
livrariacultura.com.br: DVD 
por R$ 39,90

ACUSADOS
Google Play: R$ 4,90 (aluguel) 
e R$ 23,90 (compra)
iTunes: R$ 11,90 (aluguel) 
e R$ 24,90 (compra)

FILADÉLFIA 
Google Play: R$ 5,90 (aluguel) 
e R$ 15,90 (compra)
iTunes: R$ 9,90 (aluguel) 
e R$ 24,90 (compra)
Microsoft Store: R$ 3,90 
(aluguel) e R$ 19,90 (compra)
NOW: gratuito para assinantes

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.