Descrição de chapéu Zona Oeste

Dois são presos acusados de participar da morte de casal com 10 tiros

Prisão ocorreu após polícia identificar carro de cabeleireira em imagens de monitoramento

Alfredo Henrique
São Paulo

A polícia prendeu, no final da tarde desta segunda-feira (5), um assistente administrativo e uma cabeleireira acusados de participar da morte de um casal, no último sábado (3), no Rio Pequeno (zona oeste da capital paulista). As vítimas foram mortas, com ao menos dez disparos, no momento em que saíam da garagem de casa. 

Segundo o delegado Lupércio Antonio Dimov, imagens de uma câmera de monitoramento captaram um Fiat Idea, preto, usado pelos dois acusados de matar Victor Coimbra da Siqueira, 31 anos, e Patrícia Cassia Mello Aguiar, 34.  “Após analisar o vídeo, conseguimos identificar a placa do carro e também sua proprietária”, explicou o policial. 

Victor Coimbra da Siqueira, 31 anos, e Patrícia Cassia Mello Aguiar, 34, foram mortos com ao menos dez tiros, sábado (3), durante uma tentativa de latrocínio (roubo seguido de morte) na zona oeste da capital paulista - Reprodução/Redes Sociais

Com os dados da cabeleireira Renata Verônica Jesus Barbosa, investigadores do 51º DP (Butantã) foram até a casa dela, que fica a cerca de 4,5 quilômetros do local do crime. Na residência, a mulher teria afirmado que vendeu o carro. Porém, policiais encontraram com o namorado dela, o assistente administrativo Ramiro Soares Ferrin, as chaves e documentos do veículo. 

Instantes depois, policiais localizaram o Fiat Idea, em frente à casa de Ferrin, cuja localização não foi informada pela polícia. Ao ser informada sobre o encontro de seu carro, Renata mudou de versão, segundo boletim de ocorrência, afirmando que emprestou o veículo ao namorado, que teria o utilizado para ir a uma festa. 

O delegado Lupércio Antonio Dimov ainda afirmou que, segundo imagens de uma câmera de monitoramento, o carro de Renata foi estacionado a cerca de 50 metros do local onde dois criminosos abordaram e mataram Siqueira e Patrícia. “Investigamos se a Renata era quem dirigia o veículo e se o namorado dela é um dos homens que desembarcou do veículo, antes do crime”, explicou. 

A polícia também investiga se as vítimas reagiram à tentativa de assalto, já que dentro do carro do casal foram encontrados 21 cartuchos de revólver calibre 38. 

Na casa de Renata foram encontradas drogas, que foram apreendidas. Ela e o namorado foram presos, segundo Dimov, em cumprimento a um mandado de prisão temporária, de 30 dias. “Nossa principal linha de investigação é a de que o crime foi uma tentativa de latrocínio [roubo seguido de morte]”, explicou o delegado.  

Resposta 

A advogada de defesa do casal, Thalita Salgado Lopes, afirmou por telefone que, neste momento não irá se manifestar sobre o caso. “As investigações ainda estão no início. Nem há informações suficientes para que eu possa realizar um posicionamento”, afirmou. 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.