Descrição de chapéu Zona Leste

Deic apreende viatura clonada da Polícia Civil na zona leste de SP

Comerciante foi preso por manter carro dublê em estacionamento na Vila Formosa

Alfredo Henrique
São Paulo

Um comerciante de 21 anos foi preso após ser flagrado com uma viatura clonada da Polícia Civil, na manhã desta terça-feira (10), na Vila Formosa (zona leste de SP). O suspeito já conta com uma passagem criminal anterior por receptação. 

Segundo o Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), policiais investigaram por cerca de 10 dias um esquema envolvendo uma falsa viatura da polícia. O veículo clonado reproduz um carro do 2º DP de Mogi da Cruzes (Grande SP), com números de identificação idênticos ao carro original. 

Uma viatura clonada da Polícia Civil foi apreendida, na manhã desta terça-feira (10) pelo Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) na zona leste da capital paulista. Um comerciante, 21 anos, foi preso por manter o carro guardado em seu estacionamento - Divulgação/Deic

“A descoberta da viatura clonada surgiu durante apuração realizada por policiais da 3ª Delegacia Patrimônio [Investigações sobre Crimes Patrimoniais Contra Órgãos e Serviços Públicos]. A equipe desde o início do mês passado tentava identificar um veículo com características similares à de um carro policial que circulava por regiões fora da área de atuação”, diz trecho de nota do Deic. 

Durante as investigações, policiais levantaram o endereço de um estacionamento. No local, na manhã desta terça, policiais localizaram o veículo, que estava protegido por uma capa plástica. 

Dentro do veículo, segundo o Deic, foram encontrados camisetas com inscrições da Polícia Civil, distintivos, rádios comunicadores, além de impressos com o símbolo da instituição . 

Verificando o chassi do carro clonado, modelo Palio Weekend, investigadores descobriram que ele foi furtado em fevereiro deste ano na zona leste da capital paulista. 

O responsável pelo estacionamento, um comerciante de 21 anos, foi preso após o veículo ser informado. À polícia, ele teria dito que receberia R$ 2.500,  por mês, para manter o carro no local.  

O Deic ainda investiga a participação de outros envolvidos e também qual seria a finalidade da clonagem da viatura de Mogi da Cruzes. 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.