Polícia prende 13 suspeitos de desviar cloro da água da Sabesp

Operação cumpriu 27 mandados de busca e apreensão na capital, Grande São Paulo e interior

São Paulo

Uma operação da Polícia Civil desarticulou uma quadrilha que desviada cloro da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). Os agentes prenderam nesta terça-feira (14) 13 suspeitos de participação no crime, sendo que dois deles também vão responder por outros delitos.

A Polícia Civil realizou, nesta terça-feira (14), operação contra desvio de hipoclorito de sódio que pertence a Sabesp - Reproducao/TV Globo

A polícia cumpriu 13 dos 15 mandados de prisão e 27 de busca e apreensão. Além da cidade de São Paulo, a operação também atuou em Santos, São Vicente, Cubatão, Praia Grande, Guarulhos, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra .

O inquérito apura crimes de furto, receptação e organização criminosa. Além do hipoclorito de sódio, também houve desvio de outros derivados químicos.

O hipoclorito de sódio desviado da Sabesp é utilizado para fazer produtos de limpeza. Com a pandemia, a demanda por estes materiais tem sido grande já que esses produtos são utilizados como forma de combate ao novo coronavírus.

O cloro é usado no tratamento de água para eliminar vírus e bactérias. A companhia é responsável pelo fornecimento de água, coleta e tratamento de esgotos em cerca de 370 cidades do estado de São Paulo.

A adição de cloro é uma das etapas do tratamento da água e seu uso é dosado, segundo a companhia, durante o processo, que corrige a quantidade necessária do produto e os níveis de potabilidade.

A Sabesp, por meio de nota, afirma que “vai acompanhar as investigações e os desdobramentos do caso e tomará todas as medidas judiciais para ressarcimento de eventuais prejuízos junto a esses fornecedores”.

“A água distribuída é analisada em laboratórios com ensaios acreditados pelo Inmetro, o que assegura a qualidade da água fornecida aos clientes, sem riscos para o consumo”, diz a nota.

Ainda segundo a Sabesp, para esse controle, são realizados 90 tipos de testes e mais de 90 mil análises mensais que aferem turbidez, cor, cloro, coliformes totais, dentre outros. "Esses resultados são enviados ao Ministério da Saúde e à Vigilância Sanitárias dos municípios".

A companhia diz que já solicitou acesso ao inquérito policial e abriu procedimento interno para investigação.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.