Gestão Covas diz ter montado 'logística de guerra' para testar alunos e professores

Balanço parcial aponta que de 9.187 pessoas convocadas para testagem, foram realizadas cerca de 3.500 coletas na rede municipal de ensino de SP nesta quinta

Juliana Finardi
São Paulo

O secretário municipal da Educação, Bruno Caetano, diz que foi estabelecida uma verdadeira "logística de guerra" para a realização do censo sorológico com alunos, professores e funcionários da pasta, iniciado nesta quinta-feira (1º).

Caetano acompanhou o primeiro dia de testagem na Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Professor Máximo de Moura Santos, na Vila Pauliceia (zona norte da capital paulista), ao lado do Secretário Municipal da Saúde, Edson Aparecido.

"O que recomendamos é que as famílias aguardem o contato da escola para evitar aglomerações. Trata-se de uma ação de prevenção ao coronavírus. Temos de tomar todas as precauções."

Os pais de alunos estão sendo convocados por telefone e por email. Os professores também por mensagem de aplicativo. Ao todo, a meta é testar 777 mil pessoas para saberem quantas foram infectadas pelo novo coronavírus.

No primeiro dia de testes, segundo balanço parcial divulgado à no início da noite pela gestão Bruno Covas (PSDB), foram convocadas 9.187 pessoas para testagem, tendo sido efetivamente realizadas cerca de 3.500 coletas

Ao todo, 88 escolas transformaram-se em pontos de coleta neste primeiro dia e se manterão durante a primeira fase. Todas foram instruídas a seguir as normas de distanciamento social e biossegurança.

As equipes das 468 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da cidade foram mobilizadas para atuar nas escolas. "Pelo que sabemos, nenhuma outra grande capital do mundo fez essa testagem para tomar a decisão do retorno às aulas. Mesmo que no final a última palavra seja dos pais, você poder dizer para a família que o filho está imune, vai ajudá-los a tomar uma decisão. Isso preserva a saúde das crianças e dos professores", disse o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.

Os laudos, de acordo com o secretário, serão enviados para a família e também para a Educação.

No caso dos positivados para Covid-19, por segurança, diz Aparecido, toda a família poderá ser testada de acordo com a apresentação de sintomas e, se necessário, receberá acompanhamento médico na respectiva unidade de saúde.

Covas autorizou as escolas a reabrirem a partir de 7 de outubro, mas elas não podem oferecer aulas regulares. As unidades da rede municipal podem receber os alunos apenas duas vezes por semana e por no máximo duas horas diárias.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.