Mesmo com restrições, devotos fazem romaria para Aparecida

Missas no Santuário Nacional, na próxima segunda-feira (12), serão fechadas, mas apesar disso, 1.300 pessoas já pegaram estrada

São Paulo

Eram 9h desta quinta-feira (8) quando Edvaldo Valle, 53 anos, e Tomiko Eguchi, 70, saíram da rua da Glória, na Liberdade, (região central), rumo a Aparecida.

Eles pretendem percorrer os cerca de 180 km de distância até o início da noite desta sexta (9). Planejam parar apenas para comer e utilizar o banheiro.

Mesmo sabendo que neste ano as missas e celebrações pelo Dia de Nossa Senhora Aparecida, na próxima segunda (12), não terão a presença dos fieis por causa da pandemia do novo coronavírus, eles estão animados com a romaria.

Os romeiros Edvaldo Valle, 53 anos, e Tomiko Eguchi, 70, partiram nesta quinta (8) da Liberdade (centro da capital paulista) e pretendem chegar ainda nesta sexta (9) em Aparecida; eles esperam parar apenas para comer e ir ao banheiro; no caminho, na marginal Tietê, eles tiveram de superar calçada quebrada para chegar à rodovia Presidente Dutra - Rivaldo Gomes/Folhapress

"O cansaço é inevitável, mas é devoção a Nossa Senhora. A gente quer agradecer, mesmo com as dificuldades que estamos enfrentando neste ano", afirma Valle, que é representante comercial, e ainda não sabe onde vai dormir quando chegar na cidade.

Apesar das restrições no Santuário Nacional Aparecida, entre agosto e esta quarta (7), cerca de 1.300 romeiros caminharam pela Dutra em direção a Aparecida, segundo a Nova Dutra, concessionária que administra a rodovia. No mesmo período do ano passado foram 3.794 pessoas --no total cerca de 160 mil romeiros passaram pela pista em 2019.

Os devotos não poderão assistir às missas presencialmente (serão transmitidas pela TV e pela internet) na segunda. Também não terão procissão e apresentações musicais, mas haverá algumas concessões.

Fora do horário das celebrações, a Basílica Nova estará aberta para visitação das 12h às 17h. Serão liberados 2.000 veículos (ou o equivalente a 6.000 pessoas) no santuário.

Fieis poderão realizar a visitação à imagem da santa. Será permitida a entrada de 50 pessoas por vez e cada uma poderá ficar por 3 minutos no local. Também haverá um plantão de bênçãos aos fiéis, com padres em um palco ao ar livre.

As missas com a presença de fiéis, que não ocorriam desde o março, quando foi decretada a quarentena no estado de São Paulo pelo governo João Doria (PSDB), voltaram a ocorrer no fim de julho no santuário. Entretanto serão apenas online na celebração do Dia de Nossa Senhora para evitar aglomerações.

Caminho difícil

Valle, que é ultramaratonista, afirma que o principal problema em uma jornada tão longa são as bolhas nos pés. Esta é a quarta vez que faz esta caminhada até o Santuário Nacional.

"A gente tem um grupo de umas 100 pessoas que sai de Itaquera [zona leste], todo ano. Umas 100 pessoas. Mas, por causa da pandemia, decidimos ir só nós dois, já que a Tomiko é de grupo de risco", diz.

A idosa conta que os 70 anos de idade não desanimam para percorrer a distância. "É muito bom. Temos que agradecer nossa santa."

Um dos pontos pelos quais a os dois romeiros passaram durante a caminhada rumo a Aparecida foi a marginal Tietê. Em um dos trechos, perto da sede do Corinthians, no Parque São Jorge (zona leste), a calçada estava quebrada. Por isso, precisaram caminhar pela via, que é uma das mais movimentadas da capital. A Prefeitura de São Paulo, gestão Bruno Covas (PSDB), diz que vai verificar o local nesta sexta-feira e que tomará providências.

Mesmo com algumas concessões, o santuário pede que os fieis evitem ir até Aparecida neste ano. "Estamos pedindo aos nossos romeiros para que adiem as romarias. De casa, eles são convidados a acompanhar as celebrações rezando junto conosco e também montando um altarzinho para Nossa Senhora”, diz o porta-voz do Santuário Nacional, padre José Ulysses da Silva.

Segundo o santuário, as celebrações reuniram no ano passado mais de 160 mil pessoas no local.

Em 2019, foram contabilizados mais de 30 mil romeiros caminhando pela rodovia com destino a Aparecida, entre a segunda quinzena de setembro até a segunda quinzena de novembro, período de maior movimento de romarias a pé.

Em 2019, ocorreram seis atropelamentos de romeiros na rodovia Presidente Dutra, com uma morte e três feridos. Em 2018, foram 11 atropelamentos, com três mortes e 17 feridos.

Entre as dicas de segurança para quem seguirá em direção à basílica estão caminhar pelo acostamento no sentido contrário ao tráfego, em fila indiana e o mais distante possível da pista. E só caminhar durante o dia; usar roupas claras e coloridas.

Programação para o feriado de 12 de outubro
arte agora

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.