Descrição de chapéu Coronavírus Natal

Pandemia afeta a decoração e deixa o Natal com menos brilho na Grande SP

Prefeituras alteraram decorações para diminuir aglomerações, e público diz que há desânimo

São Paulo

No meio da pandemia, as luzes que fecham o ano na expectativa de um novo ciclo ficaram mais discretas. Pela capital, a decoração de Natal, em 2020, tem chamado a atenção não pelo brilho, mas pela ausência dele. "Este ano ninguém está comemorando nada, está um desânimo, até porque as pessoas não estão nas ruas", afirma a consultora de vendas Nara Carvalho, 47.

Em passeios pela cidade, a impressão do Agora São Paulo foi a mesma. As luzes estão presentes em uma casa ou outro prédio, mas provavelmente o Papai Noel não encontrará o mesmo clima de outros anos. Vias que tinham decoração tradicional, como a rua Canadá, no Jardim Paulista, e a avenida Paulista, têm hoje pouca ou nenhuma lembrança da data.

Segundo a Setur (Secretaria Municipal de Turismo), a decoração de Natal da capital foi afetada pelas medidas de distanciamento social necessárias devido à pandemia da Covid-19. "Todas as implantações de decorações na Cidade foram pensadas com este pilar de execução."

Entre as alterações está o deslocamento da Árvore de Natal da Cidade da região do Parque Ibirapuera para a Marginal Pinheiros. A decoração do parque e do Centro também foram descentralizadas para que não haja um foco de atenção dos visitantes, evitando aglomerações.

Para evitar aglomeração, a prefeitura de Santo André montou um drive-thru da decoração de Natal na avenida Prof. Valdemar Mattei; local é composto por um túnel com 450 mil luzes - Mathilde Missioneiro/Folhapress

Vendedora da rua Normandia, em Moema, zona sul, Jéssica Lopes, 29, também diz ter percebido que o clima de fim de ano das decorações não está como antes. Até alguns anos atrás, a rua Normandia recebia turistas de todo o país que iam ao local para presenciar a decoração de destaque.

"Até hoje tem gente que vem procurando a decoração", ela diz. Por lá, contudo, a noite é de escuridão como em qualquer outra via, salvo uma ou outra vitrine com um pisca discreto.

Em cidades da Grande São Paulo, as decorações promovidas pelas prefeituras também foram diminuídas devido à pandemia. Em São Bernardo do Campo, por exemplo, o Natal Luz tem iluminação especial e projeção em prédios da região central, mas nada interativo, como em outros anos.

"A ideia é evitar aglomerações, sem deixar de comemorar a data, principalmente, neste momento de pandemia que o mundo atravessa", afirma nota da prefeitura da cidade.

Já em Santo André, a solução foi recorrer a uma das modas que ganharam força na quarentena: o drive-thru. A Vila de Luz foi montada para que a população atravesse uma espécie de túnel com mais de 450 mil luzes.

"Todos nós tivemos que nos adaptar a novas situações pela pandemia, e a celebração do Natal não poderia ser diferente. Esse é um cuidado com as pessoas, especialmente com as crianças, que querem viver a magia do Natal", afirma a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade de Santo André, Ana Carolina Barreto Serra.

O pedagogo Robson Tenório, 41, em frente à casa decorada, na zona norte de SP, para o concurso Cidade Iluminada; são 21 anos decorando a residência - Rubens Cavallari/Folhapress

Concurso premia decoração mais bonita

Para algumas pessoas, não há pandemia que tire a importância de celebrar o Natal com muitas luzes e decoração. Robson Tenório, 41, é um deles. O pedagogo investe todo ano em uma decoração especial para a casa em que mora com a mãe, na zona norte da capital, e já foi até vencedor do Concurso Cidade Iluminada. Este ano, ele segue na disputa.

"Eu gosto da decoração porque é algo que tira a gente da realidade dura dos dias, especialmente deste ano atípico que estamos vivendo. É um período em que eu acredito que as pessoas ficam mais amenas", afirma ele.

Tenório diz que o hábito de decorar a casa vem desde a infância, mas desde 1999 se dedica com afinco à tarefa. Na fachada da casa, há uma avalanche de luzes junto de papais noeis e bonecos de neve. Na sala, além da tradicional árvore, ele montou também uma vila de Natal.

"Sempre gostei da reação das pessoas ao verem. Elas perguntam, param e olham. É uma verdadeira magia." Para ele, a pandemia afetou o clima do Natal inclusive porque diminuiu a oferta de produtos temáticos. Mas não é o suficiente para apagar a data.

"Na minha visão, a gente vai conseguir manter o significado do Natal porque essa situação que estamos passando, no Brasil e no mundo, acendeu a luz da fraternidade. Vai ser um Natal com um significado muito mais forte que os outros."

O Concurso Cidade Iluminada está em sua terceira edição e premia decorações em cinco categorias: residências, comércios, shoppings, hotéis e varandas/sacadas. Essa última, afirma Andrea Flores, diretora da Business Land, realizadora do concurso, foi pensada exatamente pelo perfil do ano que passou.

"As janelas foram um ponto de contato das pessoas durante a pandemia e quisemos trazer isso para o concurso."

"Sabemos que a luz tem o simbolismo forte de transmitir uma mensagem de solidariedade. As pessoas querem receber 2021 de uma forma mais positiva. Em vez de focar só nas notícias ruins, essa é uma forma de se distrair e mostrar que a vida também é feita de pequenos momentos de alegria e de beleza."

As inscrições para o concurso Cidade Iluminada vão até o dia 24. Para participar, confira o regulamento no site do programa.

"Podemos perceber claramente é o aumento no número de votos, que já cresceu 60% em relação ao total do ano passado, antes mesmo do encerramento do concurso", diz Andrea.

Guararema tem festejo de Natal suspenso devido à pandemia

Tradição de Natal desde 2009, o Guararema Cidade Natal foi suspenso esse ano por causa da pandemia de Covid-19. Desde que teve início, a decoração especial só não aconteceu em 2016 devido à crise financeira.

Em 2019, cerca de 500 mil pessoas visitaram a cidade só para ver a decoração. Segundo a prefeitura da cidade, o cancelamento foi uma decisão do Comitê Administrativo Extraordinário Municipal Covid-19 e dos Conselhos Municipais de Saúde, Turismo e Comércios e Serviços.

"A medida foi necessária visando preservar a saúde dos munícipes e turistas, já que até o momento não foi disponibilizada a vacina e não há forma de controle nos locais de visitação."

Na tentativa de minimizar o impacto da falta de decoração oficial, alguns comércios e restaurantes reforçaram os adereços. Um deles foi o Otero Bistrô, que apresenta, este ano, a temática da Disney.

"Demos uma caprichada maior esse ano justamente porque a cidade não está enfeitada, então pensamos em algo até mesmo para os próprios moradores", afirma Ana Paula de Carvalho, 49, proprietária do local.

Ainda assim, ela diz, é possível perceber que a falta de decoração afeta o faturamento. "Mas se é pela segurança da população, a gente tem que tentar segurar visando ao bem de todos." O grande presente do Papai Noel neste Natal, afirma, é saúde para todos.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.