São Bernardo do Campo decreta toque de recolher

Medida passa a valer a partir do próximo sábado (27), entre 22h e 5h; cidade do ABC também adiou a volta às aulas para 15 de março

São Paulo

A Prefeitura de São Bernardo do Campo (ABC) anunciou que irá decretar toque de recolher na cidade a partir do próximo sábado (27), entre 22h e 5h. Por causa desta decisão, o reinício das aulas no município, que estava marcado para 1º de março, foi adiado para o dia 15. A medida também atinge a rede particular.

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC irá se reunir na próxima quarta-feira (23) para decidir se as demais cidades da região (Santo André, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra) também adotarão toque de recolher.

Em entrevista ao Agora, na noite desta segunda (22), o prefeito Orlando Morando (PSDB) afirmou que a decisão foi motivada pelo aumento no número de pacientes internados com Covid-19 nas últimas semanas. Segundo ele, a taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) é de 87% na rede municipal e de 91% nos hospitais particulares.

Salas de UTI do Hospital de Urgência de São Bernardo do Campo (ABC), que foi construído com estrutura equipada para atender, exclusivamente, os casos da Covid-19 - Adriano Vizoni - 9.nov.20/Folhapress

No dia 20 de janeiro, há pouco mais de um mês, a taxa de ocupação de leitos públicos de UTI era de 58%. Ou seja, um crescimento de 29 pontos percentuais. "Nem no pior pico, na primeira onda, nós chegamos a este número", disse Morando.

"Neste final de semana cresceu ainda mais e hoje nós chegamos a esse número que nos obriga tomar medidas mais duras, concretas e enérgicas visando conter o crescimento da pandemia e, acima de tudo, garantir leitos hospitalares para as vítimas do Covid", acrescenta.

Ainda não há data prevista para que o toque de recolher seja encerrado. "Tudo vai depender da ocupação de UTI", informa.

Morando explica que, após as 22h, só poderão funcionar hospitais e farmácias. No caso das indústrias ou dos centros de telecomunicações que funcionam no município, o prefeito afirma que essas empresas poderão abrir, desde que os funcionários entrem depois das 22h e saiam após as 5h.

O prefeito disse ainda que irá se reunir nesta terça-feira (23) com representantes da Polícia Militar, Polícia Civil e GCM (Guarda Civil Municipal) para definir as estratégias de fiscalização. Ele adianta que serão feitos pontos de bloqueio nas entradas da cidade em avenidas de grande circulação para garantir que a medida seja respeitada.

A taxa de isolamento em São Bernardo do Campo no domingo (21) foi de 48%, segundo o governo do estado, gestão João Doria (PSDB). ​

Morando afirmou que, oficialmente, não foram registrados casos oficiais da variante de Manaus do coronavírus em São Bernardo, mais contagiosa. "Mas pela velocidade de aumento do número de infectados, a gente, infelizmente, imagina que ela possa estar aqui", comenta.

De acordo com os últimos números confirmados pela Secretaria de Saúde, o município apresentou alta de novos casos, comparando a semana do dia 22 de janeiro a 4 de fevereiro (14 dias), com incidência de 379,39 casos por 100.000 habitantes.

Entre os dias 5 e e 18 de fevereiro, a incidência foi de 391,83 casos por 100.000 habitantes. Se considerados os óbitos, houve registro de 491 mortes em decorrência da Covid-19 em apenas 96 dias, comparando os dados entre 17 de novembro e 21 de fevereiro.

Até as 18h desta segunda, 43.819 foram vacinadas contra a Covid-19 na cidade, sendo sendo 33.406 da primeira dose e 10.413 da segunda.

Festa clandestina

A GCM de São Bernardo interrompeu uma festa clandestina na noite do último domingo (21) no bairro Jardim Irajá. Cerca de 200 pessoas estavam no local aglomeradas, a maioria delas sem utilizar a máscara de proteção.

O estabelecimento vendia bebidas alcoólicas após as 22h, o que desrespeita a determinação do Plano São Paulo. Ao todo a GCM atendeu, entre sexta-feira (19) e domingo, a 16 casos de aglomerações.

Estado

O estado de São Paulo registrou o maior número de pacientes com Covid-19 internados em UTIs (unidades de Terapia Intensiva) desde o início da pandemia. Segundo o secretário-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus, João Gabbardo, 6.410 pessoas estavam internadas em leitos intensivos nesta segunda-feira (22).

Por isso, o governo João Doria (PSDB) deverá anunciar medidas restritivas de circulação na próxima quarta-feira e que deverão vigorar a partir de sexta.

Mas antes mesmo das novas regras estadual, a Prefeitura de Campinas, gestão Dário Saadi (Republicanos), anunciou nesta segunda que cidade adotará as normas da fase vermelha do Plano São Paulo, das 21h as 5h, entre esta terça (23) e 1º de março.

Durante este horário, apenas serviços essenciais estão autorizados a funcionar, como farmácias e mercados. "Os restaurantes só poderão funcionar presencialmente até as 21h. Já os bares terão que encerrar as atividades até as 20h", diz a prefeitura, em nota. Igrejas também terão de fechar até as 21h.

No restante do dia, a cidade continua na fase amarela do Plano São Paulo, com funcionamento de comércio, mas com limite de capacidade de pessoas. A taxa de ocupação de leitos públicos de UTI para coronavírus estavam em 97,2% no sábado.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.