Descrição de chapéu Coronavírus

Idosos reclamam de falta de informação sobre segunda dose em SP

Data para o reforço precisa estar marcada no cartão entregue após a imunização, diz prefeitura

São Paulo

Idosos que estão sendo vacinados contra a Covid-19 na cidade de São Paulo reclamam da falta de informação sobre a segunda dose do imunizante e dizem que o cartão de vacinação entregue a eles não possui a indicação da data e que os atendentes não sabem informar direito a data exata.

A norma prevê que todas as pessoas que estão sendo vacinadas saiam com a indicação para segunda dose no cartão que está sendo entregue.

Mas não foi o caso de Gessy de Oliveira Filinto, 90 anos. Segundo sua filha, Vera Filinto, 60, após a primeira dose no drive-thru do estádio do Pacaembu (zona oeste), no dia 8 de fevereiro, uma atendente entregou o cartão sem data. "Disseram apenas que ia ser divulgada [a data da segunda dose]."

Movimentação na UBS Dr Sigmund Freud, em Moema (zona sul de SP), para vacinação dos idosos entre 80 e 84 anos - Zanone Fraissat - 1º.mar.21/Folhapress

Elas voltaram ao local em 25 de fevereiro. Porém, disseram que a segunda dose não estava disponível. Nesta terça (2), 22 dias após a idosa ser imunizada pela primeira vez, ela recebeu o reforço no clube Hebraica (zona oeste). "Só descobri indo aos postos perguntando."

O caso é o mesmo de Edair Borborema, 88, que tomou a vacina no dia 11 de fevereiro, no Pacaembu. Sua mulher, Filomena, 75, que o acompanhou, disse que foi informado que seria preciso buscar a data da segunda dose no site da prefeitura ou na imprensa. Ele ainda não recebeu o reforço

Resposta

Em nota, a Secretaria Municipal da Saúde disse que o correto é assinalar a data da segunda dose no cartão. "Todos os colaboradores têm a orientação para definir o prazo do retorno. Ou seja, preencher a data da segunda dose", afirmou.

A gestão Bruno Covas (PSDB) disse que os casos relatados são pontuais. E indicou para quem ter dúvida acessar o site Vacina Sampa.

Vacina - Quando tomar a segunda dose

Coronavac

  • 21 dias após a data da 1ª dose

Oxford/AstraZeneca

  • 12 semanas (três meses) após a dada da 1ª dose

Quem tomou 1ª dose no drive-thru do Pacaembu, que fechou nesta quarta (3), pode tomar a segunda dose onde?

  • Deve procurar outro drive-thru ou qualquer uma das 468 UBSs (Unidade Básicas de Saúde) da capital

Se eu tomei uma dose da vacina da Fiocruz eu posso tomar a segunda dose do Butantan? E vice-versa?

  • É recomendado que a dose de reforço seja da mesma fabricante da primeira dose.

Calendário

90 anos

1ª dose

  • início a partir de 5 de fevereiro

2ª dose

  • Coronavac: de 26 de fevereiro até 5 de março (prazo máximo)
  • AstraZeneca: de 5 de março (a partir de 4 semanas) até 5 de maio (prazo máximo)

85 anos e mais

1ª dose

  • início a partir a partir de 12 de fevereiro

2ª dose

  • Coronavac: de 5 de março até 12 de março (prazo máximo)
  • AstraZeneca: de 12 de março (a partir de 4 semanas) até 12 de maio

80 anos e mais

1ª dose

  • início a partir a partir de 27 de fevereiro nos drive-thrus e AMAs/UBSs integradas e 1º de março nos demais locais

2ª dose

  • Coronavac: para quem tomou no dia 27 de fevereiro: de 13 de março até 20 de março (prazo máximo). Para quem tomou a partir de 1º de março: 22 de março até 28 de março (prazo máximo)
  • AstraZeneca: de 27 de março (a partir de 4 semanas) até 27 de maio (prazo máximo)

77 anos
1ª dose

  • início a partir de 3 de março

2ª dose

  • Coronavac: a partir de 24 de março até 1º de abril (prazo máximo)
  • AstraZeneca: de 3 de abril (a partir de 4 semanas) até 3 de junho (prazo máximo)

Fonte: Prefeitura de São Paulo

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.