Voltaire de Souza: Boca fechada

Voltaire de Souza

Susto. Surpresa. Modificação.
Cai o ministro da Saúde.
Em Brasília, o general Perácio estava preocupado.
--Será que agora eu vou ter de usar máscara?
O assessor Guarany procurou a resposta adequada.
--No senhor ninguém manda, general.
Perácio respirou profundamente.
--A questão não é essa.
Ele olhou com firmeza para o assessor.
--Estamos numa democracia ou não estamos?
O tapa estalou na mesa de jacarandá.
--Então. Aqui só usa máscara quem for ladrão. Ou for maricas.
Mas Guarany se lembrou de um fato importante.
--O presidente Bolsonaro usou outro dia...
--Besteira. Mentira. Factoide.
--Parece que depois do discurso do Lula ele achou que...
--Nunca. Imbecil. Quem pôs isso na sua cabeça?
--Analistas políticos, general... E... Para dizer a verdade...
--O quê?
--Eu até conc...
A frase de Guarany foi interrompida.
--Vem cá.
Perácio tirou da gaveta uma reforçada mordaça de couro.
--Comprei num sex shop.
Prendeu o utensílio no rosto do assessor.
--Quer máscara? Usa essa aqui. Até parar de falar besteira.
O governo, por vezes, é como a pandemia.
Muita gente morre pela boca.

Homem com boca fechada por mordaça
Susto. Surpresa. Modificação. Cai o ministro da Saúde. - Unsplash
Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.