Coordenador do São Paulo fica sem vacina contra Covid-19 e registra caso na polícia

Pedro Smania descobriu que alguém usou seus dados e foi imunizado em São José dos Campos

São Paulo

O educador físico Pedro Smania, coordenador das categorias de base do São Paulo, não conseguiu ser vacinado contra a Covid-19 na tarde da última quinta-feira (27). Ao tentar a imunização na UBS (Unidade Básica de Saúde) Vila Borges, na zona oeste da capital paulista, descobriu que alguém usou seus dados, incluindo números do RG, CPF e CREF (registro no Conselho Regional de Educação Física) para ser vacinado em São José dos Campos, no interior de São Paulo.

Por ser educador físico, Smania é considerado profissional da saúde, categoria que já pode ser vacinada, de acordo com o Plano Nacional de Imunização. Mas, como seu nome já constava no sistema de vacinação como imunizado, ele não pôde receber a primeira dose. Smania registrou caso na polícia.

Pedro Smania, coordenador das categorias de base do São Paulo,
Pedro Smania, coordenador das categorias de base do São Paulo - Instagram/@pedrosmania

“Sou da área da saúde. Fui me vacinar ontem à tarde [dia 27] e pasmem!!! Alguém tomou vacina com meus dados em outra UBS. Feito B.O. hoje [28] e ver onde isso vai parar. Voltei para casa sem ser vacinado”, escreveu ele no Twitter.

A enfermeira que atendeu o educador físico constatou, através do sistema, que alguém se apresentou com o nome de Pedro Smania na UBS Eugênio de Melo, em São José dos Campos. A Prefeitura da cidade informou estar ciente do caso e que já entrou em contato com o esportista na noite de sexta-feira (28).

Segundo nota da Prefeitura de São José, o educador físico esteve na cidade em 2008 por um período de 30 dias. Na ocasião, ele fez um cadastro na UBS Vila Maria, bairro onde ficou hospedado, "o que explica o registro de Pedro no sistema de Cadastro de Regulação Ambulatorial (CRA)". "O próprio atleta afirmou que o registro pode ter sido feito em decorrência de uma vacina de febre amarela, aplicada na unidade”, informou.

Sobre o registro indevido da vacina contra a Covid-19, a Prefeitura afirmou que um processo de averiguação será instaurado, mas que não há indícios de fraude ou má-fé. “Há suspeita de que um erro de digitação tenha ocasionado a transmissão indevida dos dados do atleta do sistema da Prefeitura para o Vacivida, durante o registro da vacina. Todas as providências para que Pedro possa receber a primeira dose do imunizante contra a Covid já estão sendo tomadas.”

A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo informou que, assim que a situação for normalizada na cidade em questão, Smania poderá ser vacinado. “Quando o nome do munícipe for retirado do cadastro, ele poderá ser vacinado em qualquer unidade de saúde da capital.”

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.