Descrição de chapéu senado

Trump já vai tarde

Na longa história da democracia dos Estados Unidos, um presidente não conseguir a reeleição é coisa rara --a última vez havia sido em 1992. Donald Trump fez muita coisa errada para ter negado um segundo mandato.

Ele já era, desde o início, uma figura no mínimo polêmica. Claramente despreparado para o cargo, dado a espalhar informações falsas e com propostas absurdas como a de construir um muro na fronteira com o México, o republicano se projetou na política estimulando conflitos na sociedade americana.

Mesmo assim, era o favorito na eleição presidencial até a chegada da Covid-19. Sua irresponsabilidade diante da pandemia custou vidas e, para ele, votos. A crise econômica que se seguiu elevou o desemprego e tirou outra vantagem do republicano --o mercado de trabalho andava muito bem até o início do ano.

Seu vexame mais recente se deu a partir da campanha eleitoral, quando as pesquisas passaram a apontar o democrata Joe Biden como líder nas preferências dos americanos. Trump começou a indicar que não aceitaria uma derrota e passou a acusar fraudes na votação pelo correio, sem nenhuma base.

As democracias não funcionam bem quando os participantes rejeitam as regras do jogo --ou só as aceitam quando vencem. O presidente dos EUA dá um péssimo exemplo para o mundo todo.

Que nosso presidente, Jair Bolsonaro, aprenda com a derrota histórica de seu ídolo americano. Investir na confusão pode dar resultado durante algum tempo, mas cedo ou tarde é preciso governar e mostrar resultados concretos.

O mundo é um lugar melhor desde que uma maioria de votos se formou para barrar Trump, que já vai tarde.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.