Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Apito eletrônico patético é a estrela do medonho 0 a 0

Vitor Guedes
São Paulo

Num tempo, página infeliz da nossa história, passagem desbotada na memória, das nossas novas gerações... Alô, povão, agora é fé! São Paulo e Palmeiras não saíram do zero no Morumbi em mais um jogo fraco, em que a estrela foi o circo patético do apito eletrônico. Melhor para o Palmeiras, que decidirá no Allianz (onde tem 100% de aproveitamento no Choque-Rei) quem avançará à decisão do “Paulistinha”.

Após um primeiro tempo muito mais brigado e reclamado do que jogado, com uma finalização na trave para cada lado (Dudu para o Verdão, Pablo respondeu para o Tricolor), Dudu invadiu a área e, ao sentir a mão de Reinaldo no ombro, caiu. Pênalti? Eu achei que não! O verbo é esse, achar, porque trata-se de um lance subjetivo, interpretativo, sem veredicto inconteste.

O árbitro Vinícius Furlan aponta a marca da cal ao marcar pênalti de Reinaldo em Dudu, no jogo de ida da semifinal do Paulista entre Palmeiras e São Paulo, no Morumbi
O árbitro Vinícius Furlan aponta a marca da cal ao marcar pênalti de Reinaldo em Dudu; depois de apelar ao VAR, ele voltou atrás - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

O juiz, do lado do lance, não teve qualquer dúvida e apontou a cal. Aí, 818 minutos depois, ele correu para o monitor, reviu as imagens do que já tinha visto muitíssimo bem ao vivo e resolveu cancelar o que viu e tinha marcado. Resumo: o VAR não acabou com a dúvida nem com a polêmica, acabou com o futebol!

Paralisou o espetáculo e fez de idiotas os milhões de alviverdes que comemoraram a marcação da penalidade e outros milhões de tricolores que xingaram o Reinaldo pela infração. Não é um caso isolado. Nos quatro confrontos das quartas, sem exceção, teve erros capitais do apito com VAR e tudo!

No segundo tempo, não teve nada digno de nota. Só faltas. No atacado. Uma enorme perda de tempo para homenagear o tempo que o VAR roubou do Choque-Rei.

Uma lástima!
 

Ditadura, nunca mais!

Abaixo o VAR! Devolvam o nosso futebol!

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.