Timão fatura o tri

Alvinegro despacha freguês São Paulo e leva 30ª taça do Paulista

Marcos Guedes
São Paulo

Os anos 90 estão na moda, têm até novela recordando suas tradições. Pois o Timão voltou precisamente a 1990, para superar o São Paulo e conquistar mais um título.

O triunfo no Campeonato Paulista de 2019 , no domingo (21), em Itaquera, com uma vitória por 2 a 1, repetiu os moldes daquela que é uma das mais celebradas conquistas da história alvinegra, a do Brasileiro de 29 anos atrás.

Jogadores do Corinthians comemoram o título do Campeonato Paulista
Jogadores do Corinthians comemoram o título do Campeonato Paulista - Eduardo Anizelli/Folhapress

Neste título teve um goleiro seguro, uma trajetória irregular, um camisa 9 herói e um ataque econômico.
Com 16 gols em 18 jogos, o Corinthians teve uma média de 0,89 tento por partida. Número inferior até ao 0,92 da campanha de 1990, que era a única campanha de título em que o clube fez menos de um gol por partida.

De novo, como há quase três décadas, o time conviveu com críticas no caminho até a taça. De novo, encontrou o São Paulo na final. E, de novo, encerrou a disputa com sua torcida em festa.

No embate derradeiro, que consagrou Fábio Carille como o primeiro técnico tricampeão estadual pelo Corinthians desde 1924, a torcida foi brindada com o sofrimento que tanto aprecia.

O time até buscou mais o jogo do que o adversário, o que não impediu a aflição até o final, com o gol do título anotado por Vagner Love aos 44 minutos do segundo tempo.

A equipe encaixou alguns lances em sequência e começou a conseguir escanteios. Em um deles, cobrado aos 31 minutos por Sornoza e escorado por Ralf, Danilo Avelar abriu o placar.

Mais tarde, Gustavo se mostrou desastrado em um contra-ataque perigoso. Logo em seguida, aos 48 minutos, Antony ficou com sobra na entrada da área, bateu no canto esquerdo de Cássio e igualou a decisão.

O São Paulo voltou do intervalo com o experiente Hernanes na vaga de Everton Felipe. Não tomou o controle das ações, mas tornou o jogo mais equilibrado.

Fábio Carille tentou melhorar seu ataque com Vagner Love e Boselli e se viu obrigado a trocar o lesionado Henrique por Pedro Henrique. Também saiu com problemas o tricolor Everton, substituído por Willian Farias. E Cuca também apostou no lateral esquerdo Léo, adiantando Reinaldo.

No final, ficou claro que era o Corinthians o maior interessado em evitar os pênaltis. A equipe não chegou a armar uma pressão fortíssima, mas com belo passe de Sornoza e precisa conclusão de Love, tornou-se campeão estadual pela 30ª vez.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.