Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Santos é o vencedor do Dérbi de Itaquera

Vitor Guedes
São Paulo

Esse jogo não é 1 a 1, esse jogo não pode ser 1 a 1... Alô, povão, agora é fé! Deu Coringão, de novo! Tudo igual, no jogo, no confronto, no Brasileirão… E quem comemorou mesmo foi o Santos, que disparou na liderança do Campeonato Brasileiro, abrindo quatro pontos para o vice-líder Palmeiras.

O Timão e o Verdão continuam com 127 vitórias nos Dérbis, agora são 107 empates (considerando só o Brasileirão, são 17 vitórias para cada e 18 igualdades). À vera, o resultado foi ruim para ambos, pior para o Verdão, que é quem tem pretensões de disputar o título e quem acabou o clássico mais perto da vitória.

O lateral esquerdo corintiano Danilo Avelar tenta escapar da marcação do lateral direito palmeirense Marcos Rocha.
O lateral esquerdo corintiano Danilo Avelar tenta escapar da marcação do lateral direito palmeirense Marcos Rocha; Dérbi termina empatado em 1 a 1, no duelo em Itaquera. - Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

Apesar das boas atuações de Carlos Augusto, Matheus Jesus e Mateus Vital na Sul-Americana, Fábio Carille, que também errou nas substituições, foi conservador e optou pelo retorno dos titulares Danilo Avelar, Júnior Urso e Sornoza. Já Felipão (ameaçado de morte à luz do dia, em coro, na porta do CT por alguns integrantes da principal uniformizada na véspera em caso de nova derrota para o maior rival) não surpreendeu na escalação, mas na postura e mandou a equipe ao ataque.

Foi o Verdão, pressionado pela própria “torcida” e pelo Santos, que começou deixando claro que o Cássio seria o nome do Dérbi. Na primeira chegada alvinegra, Diogo Barbosa fez falta feia e falhou na hora de subir, e Manoel, aproveitando o centro de Sornoza, foi à rede.

O Palmeiras, mais uma vez, sentiu demais o gol, o jogo mudou, Diogo Barbosa, que falhou no gol e merecia o vermelho. E foi o Timão quem teve mais perto de ampliar. Até por isso, Felipão voltou para o segundo tempo com Scarpa no lugar de Raphael Veiga e o Palestra retomou o domínio. E, logo de cara, empatou com Felipe Melo, o melhor alviverde em campo.

Com a igualdade, Carille trocou Sornoza por Vital; Felipão, Willian por Zé Rafael. Como tudo se manteve igual, Gabriel deu lugar a Matheus Jesus. O Verdão teve as duas chances claras de vencer, em cabeçadas de Gustavo Gómez e, já nos acréscimos, de Deyverson.

A Fiel e a torcida santista têm de agradecer ao Cássio. O Brasileiro ficou longe para o Verdão e virou miragem para o Timão. 

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Destaque da 13ª rodada do Brasileirão

Disparada Santástica

Após assistir, de camarote, o seu Santos enfiar 6 a 1 no Goiás, resultado que derrubou o treinador Claudinei Oliveira, Jorge Sampaoli, pela TV, ainda pôde comemorar a derrota do Flamengo e o empate do Palmeiras. Tropeços e ajuda alheia à parte, o Santos é o líder, isolado e disparado, porque ganhou os últimos sete jogos do interminável Campeonato Brasileiro, os quatro pós-Copa América e os últimos três antes da parada. A última vez que a galera santista não comemorou três pontos no Brasileirão foi na longínqua 6ª rodada, em 26 de maio, quando o Peixe ficou no 0 a 0 com o Colorado, na Vila.

Max Francioli
Max Francioli
 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.