Furacão e Colorado vão decidir o título da Copa do Brasil

Athletico-PR bate o Grêmio nos pênaltis após vitória no tempo normal e Internacional não dá chance ao Cruzeiro no Beira-Rio lotado

Claudinei Queiroz
São Paulo

A esperada final da Copa do Brasil entre Grêmio e Internacional não vai acontecer. Não por causa do Colorado, que atropelou o Cruzeiro por 3 a 0 no Beira-Rio lotado, após vencer em Minas por 1 a 0, para carimbar a vaga. O problema foi que o Grêmio não conseguiu segurar a vantagem de 2 a 0 que havia feito em Porto Alegre e acabou eliminado nos pênaltis (5 a 4) pelo Athletico-PR, na Arena da Baixada, após a equipe paranaense vencer por 2 a 0.

Edenílson (à esq.) e Paolo Guerrero, autores dos gols do Internacional na vitória por 3 a 0 sobre o Cruzeiro, no Beira-Rio, pela Copa do Brasil
Edenílson (à esq.) e Paolo Guerrero, autores dos gols do Internacional na vitória por 3 a 0 sobre o Cruzeiro, no Beira-Rio, pela Copa do Brasil - @SCInternacional/Divulgação

O Athletico dominou o Grêmio desde o primeiro minuto de jogo. De tanto que pressionou, conseguiu devolver a vantagem construída pelos gaúchos no duelo de ida, com gols de Nikão e Marco Ruben. A decisão, então, foi para os pênaltis e o goleiro Santos pegou a última cobrança gremista, do atacante Pepê.

O que acabou facilitando um pouco o trabalho do time da casa foi a expulsão do zagueiro Kannemann aos 14min do segundo tempo após dar uma entrada de carrinho em Cittadini. Com um jogador a menos, o Tricolor gaúcho não conseguiu segurar a pressão.

Já no Beira-Rio, o grande destaque foi o centroavante peruano Paolo Guerrero, autor de dois gols. O placar foi fechado por Edenílson, com um gol por cobertura. Os dois são os artilheiros do torneio com cinco gols.
Guerrero fez valer todo o seu esforço para estar no Beira-Rio e decidir para o Inter. Convocado para os amistosos da seleção peruana, ele chegou a ligar duas vezes para o técnico Ricardo Gareca a fim de conseguir a liberação dos duelos. 

Nesta quinta-feira (5), às 15h, a CBF realizará o sorteio para escolher os mandos de campo da decisão. As finais já serão disputadas nas próximas semanas, nos dias 11 e 18 de setembro. 

Campeão na edição de 1992, o Inter não levanta uma taça nacional desde aquela única conquista da Copa do Brasil. Em 2009, a equipe chegou à finalíssima, mas acabou perdendo o título para o Corinthians. (CQ)

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.