Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Brasil será 1º mundo quando formos 200 milhões de técnicos

São Paulo

Cada um no seu cada um e deixa o cada um dos outros... Alô, povão, agora é fé! Se a pessoa pensa em trabalhar no Brasil (e tem a pretensão de ser protegida e defendida pela mídia e por outros trabalhadores), a melhor opção é tentar a sorte na carreira de treinador de futebol!

O técnico Mano Menezes "caiu para cima" ao deixar o comando do Cruzeiro, que brigava contra o rebaixamento, para assumir o Palmeiras, brigando na ponta da tabela
O técnico Mano Menezes "caiu para cima" ao deixar o comando do Cruzeiro, que brigava contra o rebaixamento, para assumir o Palmeiras, brigando na ponta da tabela - Cesar Greco - 25.nov.19/Ag. Palmeiras/Divulgação

Paulatinamente, a terceirização e os projetos que esquartejam a CLT vão deixando muito pior e mais instável a vida do trabalhador comum que ainda não perdeu o emprego... E, se não tem quem o defenda (muitas vezes, à síndrome de Estocolmo, o próprio trabalhador aplaude medidas patronais que só privilegiam o topo da pirâmide), não falta gente que grite pela estabilidade dos treinadores. E olha que técnico (de elite) é uma categoria privilegiadíssima, que ganha muito empregada, ganha muito na demissão, quando recebe as multas rescisórias, e ganha mais ainda no próximo contrato, mesmo que venha de trabalhos decepcionantes. É só lembrar de Mano, que "caiu para cima" ao deixar o Cruzeiro e assumir o Palmeiras...

Quando um clube manda um técnico embora, mesmo quando ele faz um péssimo trabalho, fronhas pós-modernos têm chilique e urram pela necessidade de manter o profissional. Os mais fanáticos chegam ao absurdo inconstitucional de defenderem a proibição de que treinadores troquem de emprego ou que recebam o bilhete azul durante um campeonato...

Tiago Nunes não quis renovar com o Athletico-PR para assumir o Corinthians em 2020, Jorge Sampaoli tem contrato com o Santos até o final do ano que vem e não se constrange com o interesse palmeirense. E os dois, desde que cumpridas as cláusulas, estão certinhos. Errados e cínicos são os que tratam treinador como algo à parte do resto da sociedade. Que eles não reclamem depois... Vale para Argel, Adilson, Rogério Ceni, Abel, Mano, Luxa... Vale para todos!

Charles Bukowski: "Quanto mais o tempo passa, menos eu significo pras pessoas e menos elas significam pra mim".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca!

Vitor Guedes
Vitor Guedes

43 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.