Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: Palmeiras afunda Vasco e se mantém vivo no Brasileirão

Vitória mantém esperança verde na briga pelo título nacional, enquanto Vasco luta contra a degola

São Paulo

Eu em paz no verde e esperança... Um gol solitário de Luiz Adriano, no rebote do pênalti que ele mesmo perdeu, deu a vitória ao Palmeiras em São Januário, mantendo a esperança verde de ainda lutar pelo título brasileiro e o Vasco na armagedônica luta contra a degola.

Apesar da diferença gritante de orçamento, qualidade do elenco, pontuação e objetivo no campeonato, Vasco e Palmeiras fizeram um primeiro tempo, extremamente equilibrado, nivelado por baixo, com vantagem clara dos sistemas defensivos no embate com os ataques. À vera, não teve nenhuma chance de gol e nada digno de nota.

Luiz Adriano disputa a bola com a zaga vascaína durante a partida do Palmeiras com o Cruzmaltino em São Januário
Luiz Adriano disputa a bola com a zaga vascaína durante a partida do Palmeiras com o Cruzmaltino em São Januário - Cesar Greco/Ag. Palmeiras

O segundo tempo, muito, mas muito, muito longe de ser bom, foi muito melhor que o primeiro. Sabendo que o 0 a 0 não resolvia a vida de ninguém, os treinadores Abel Ferreira e Ricardo Sá Pinto, no primeiro duelo entre técnicos portugueses na história do Brasileiro, soltaram suas equipes e os espaços criados foram transformados em chances, mais na base da transpiração do que da inspiração.

Logo no reinício, Rony e Gabriel Menino pararam em boas intervenções de Fernando Miguel. Na resposta vascaína, Cano tentou e Weverton também precisou fazer boa defesa.

Com mais espaço para atacar, o Palmeiras, melhor, conseguiu um pênalti em lance de falta (de inteligência) de Neto Borges em Lucas Lima: Luiz Adriano bateu mal, mas aproveitou o rebote de Fernando Miguel e corrigiu o erro estufando a rede com raiva.

Logo após Abel Ferreira queimar a quinta alteração, Felipe Melo sentiu o tornozelo e saiu, deixando o Palestra com um a menos. No entanto, nem a necessidade e o fato de ter um atleta a mais fizeram o Vasco levar perigo ao gol de Weverton, e o 1 a 0, justo, prevaleceu.

Para conquistar títulos, o Verdão vai precisar jogar mais! E o Vasco, que "organizou", mais uma vez, uma eleição presidencial de fazer inveja aos piores momentos dos Estados Unidos de Donald "Miranda" Trump, vai ter de arrumar a casa se não quiser voltar à Série Baba.

*

José Saramago: "Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca! E no agora.com.br!

*

Destaques da 20ª rodada do CovidãoBR de VARtebol

Vamos, São Paulo!

A derrota do Flamengo (35 pontos, 20 jogos) para o Atlético-MG (35 pontos, 19 jogos) e o empate do Inter (36 pontos, 20 jogos) com o Coritiba deixaram ainda maior a vitória de virada do São Paulo (33 pontos, 17 jogos) sobre o desenganado lanterna Goiás! Se vencer pelo menos dois dos três jogos adiados do primeiro turno, o Tricolor assume a liderança isolada do Brasileiro. E o grito contra o apito deu frutos. Depois de mudar a escala contra o Grêmio, o Tricolor teve validado o "gol" de empate contra o Goiás, anotado por Brenner, sem que nenhuma imagem mostrasse que a bola entrou! Diniz e Raí, até o momento, não deram chilique!

Campinho Seleça
Arte Agora
Campinho Selelama
Arte Agora

O cara

Sasha

Foi um passeio coletivo do Galo em cima do Flamengo na goleada por 4 a 0: Everson pegou quando precisou, a zaga foi impecável, Arana deitou e rolou na esquerda, Savarino azucrinou pela ponta, Keno marcou, mas Sasha, que foi à rede duas vezes, foi o cara no Mineirão!

Orelhudo

Domènec Torrent

Vivo na Libertadores, na Copa do Brasil e ainda na briga pelo Brasileirão, o Flamengo, que tem o melhor, mais farto e caro elenco do continente, não pode se acostumar a passar vergonha. É 5 a 1 no Equador para o Del Valle, 3 a 0 para o Atlético-GO em Goiás, 4 a 1 para o São Paulo no Maracanã, 4 a 0 agora para o Atlético-MG no Mineirão. Não há um único culpado, mas o catalão Dome tem as suas digitais impressas nas goleadas sofridas.

Tartaruga

Santos

O Peixe fez um primeiro tempo abaixo da crítica e repetiu a dose no segundo. Mesmo quando o 1 a 0 caiu no colo sem querer, após gol contra bizarro de mão de Léo Ortiz, o Santos não mudou o ritmo devagar --quase parando-- da prosa e foi castigado, no último lance, com o gol de empate anotado pelo próprio Léo Ortiz. O tento de empate tirou provisoriamente o Red Bull Bragantino da zona da degola, mas a luta contra a queda vai até o final do Brasileiro.

Vitor Guedes
Vitor Guedes

43 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.