Descrição de chapéu Opinião

Caneladas do Vitão: São Paulo poderia estar com a faixa no peito contra o Palmeiras

O clássico prometia valer bem mais do que vale

São Paulo

Quando chegar o momento, esse meu sofrimento, vou cobrar com juros, juro... Alô, povão, agora é fé! São Paulo e Palmeiras medem forças, no Morumbi, em clássico que, pelo potencial alviverde e pela disparada (precoce) tricolor, prometia valer bem mais do que vale.

Com o jogo importante para o São Paulo, o atacante Luciano é a esperança da torcida no clássico
Com o jogo importante para o São Paulo, o atacante Luciano é a esperança da torcida no clássico - Rubens Chiri - 19.jan.21/SãoPauloFC.net

Rivalidade gigantesca de mão dupla à parte, o Choque-Rei, que não vale título, que é o que verdadeiramente vale, é muito mais importante para o São Paulo do que para o Palmeiras. Em contagem regressiva para a decisão da Copa do Brasil e sem qualquer objetivo no interminável VARgonhão de pontozzz perdidozzz, o Verdão, à vera, pode usar o clássico como último apronto antes de preservar a equipe para a final do mata-mata nacional.

Já o São Paulo, que jogou sete pontos (que poderiam ser dez não fosse a piaba em Bragança) de vantagem e o título no lixo com a burra e inexplicável insistência com o dinizismo e sua palhaçadinha armagedônica na saída de bola, sabe a importância que é confirmar a classificação direta à fase de grupos da Libertadores e evitar o desgaste e a incerteza de dois mata-matas prévios logo no início da era Hernán Crespo.

Sempre há a turma do passa-pano que enxerga o copo meio cheio como há a rapaziada do copo meio vazio ávida por uma desgraça, mas a verdade, ponderada, é que o confronto vale sim, mas vale muito menos do que poderia e prometia!

Se o calendário da CBF não fosse um lixo que castiga quem é competente, o Palmeiras, campeão da América e finalista da Copa do Brasil, certamente ainda estaria na briga pelo título brasileiro, vexame mundial à parte. E o Tricolor, não tivesse perdido tanto tempo com o fraco Fernando Diniz e a tática kamikaze e bizarra fadada ao fracasso, já estaria com a faixa no peito e celebrando o fim do incômodo jejum de títulos. Já desbotou a camisa 6-3-3 da torcida!

João Guimarães Rosa: "Felicidade se acha é em horinhas de descuido".

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL. É tudo nosso! É nóis na banca! No agora.com.br! E no youtube.com/blogdovitao!

Choque-Rei
A chance de o Tricolor ser campeão do VARgonhão é a mesma de o meu pai ovular, mas, matematicamente, o São Paulo continuará vivo ao fazer valer o fator Morumbi contra um adversário que está mais preocupado com a Copa do Brasil. Palpite: São Paulo 2 x 1 Palmeiras. Amanhã: Coritiba 0 x 1 Ceará e Fortaleza 1 x 1 Bahia.

Enquete
Quem será o campeão brasileiro de VARtebol? Dos 357 torcedores que responderam à enquete sobre o Descalibradão no Twitter @vitao_guedes, 54,3% optaram por InterVARcional e outros 45,7% cravaram VARmengo. A única certeza é a de que o desmoralizado VAR é um lixo completo! Essa culpa eu não carrego! Viva a memória!

Vitor Guedes
Vitor Guedes

44 anos, é ZL, jornalista formado e pós-graduado pela Universidade Metodista de São Paulo, comentarista esportivo, equilibrado e pai do Basílio.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.