Descrição de chapéu INSS

Dona de casa pediu pensão em dezembro

Pedido de benefício passou de três meses; nesta semana, INSS liberou grana

Fernanda Brigatti
São Paulo

A dona de casa Lindalva Tercilia de Melo Ramazini, 62 anos, ficou viúva em novembro do ano passado.
Em dezembro, fez o pedido de pensão por morte na agência do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), na região central de Guarulhos (Grande SP). Até hoje, porém, o benefício previdenciário não foi concedido.
“Quando a gente pergunta, eles dizem que é porque muita gente está pedindo e tem pouco funcionário para analisar”, relata Daiane Ramazini, filha de Lindalva.

Lindalva Ramazini ficou viúva em novembro de 2018; no mês seguinte, fez o pedido do benefício ao INSS e ainda não recebeu
Lindalva Ramazini ficou viúva em novembro de 2018; no mês seguinte, fez o pedido do benefício ao INSS e ainda não recebeu - Rivaldo Gomes/Folhapress


“Não conseguimos entender porque está demorando tanto, se é só transferir o benefício. Meu pai já era aposentado há anos, os dois eram casados, é só passar o pagamento para ela.”
Devido à demora na concessão da pensão por morte, Lindalva está contando com a ajuda de outras pessoas da família para manter o sustento.

Daiane relata também que, ainda em novembro, o benefício previdenciário do pai foi liberado com desconto. “O cartório já informou o INSS que meu pai morreu. A gente não consegue entender que demora toda é essa se é um benefício tão simples”, afirma à reportagem.

Pensão é concedida

O INSS em São Paulo informou que a pensão por morte de Lindalva Tercilia de Melo Ramazini foi concedida no dia 2 de abril. O pagamento será feito retroativamente ao dia 23 de novembro de 2018, data em que a dona de casa ficou viúva. Ela pode consultar as informações de seu benefício no site do INSS ou aguardar a carta que será enviada pelos Correios.
 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.