Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Banco pede moeda para liberar armário; veja mais reclamações

Professor diz que precisou deixar seus pertences no chão para entrar na agência

Ana Paula Branco Havolene Valinhos
São Paulo

O professor Eliel Queiroz Barros, 37 anos, de Santo André (ABC), conta que na agência da Caixa, em Utinga, os clientes podem utilizar armários do local, desde que coloquem uma moeda de R$ 1, que depois é devolvida.

"E se não temos uma moeda de R$ 1? Eu tive que deixar meus pertences no chão, em frente à porta giratória."

Rivaldo Gomes -11.jan.16/Folhapress

A Caixa diz que a gerência da agência de relacionamento (Utinga) entrou em contato com o cliente na última sexta-feira (24). Segundo o banco, a crítica do leitor será encaminhada para as áreas competentes para implementação de melhorias.

Veja outras reclamações

Facta Financeira

O aposentado Alcides João Viana de Oliveira, 66 anos, de Artur Alvim (zona leste), diz que aceitou a oferta da Facta Financeira, para transferir dois empréstimos consignados, com a promessa de economizar até R$ 2.000 na quitação.

"Só que não vão cumprir nem cancelam o contrato. Querem que eu pague tudo de novo."

Resposta A Facta Financeira afirma que, em respeito ao sigilo bancário, só dará informações ao cliente. Para isso, ele deve procurar a empresa nos telefones de seu SAC: 0800-9420462 e (51) 3191-7318 ou pelo email sac@factafinanceira.com.br.

Vivo

A aposentada Maria Cristina Garcia, 66 anos, do Parque Panamericano (zona oeste), diz que ficou sem sinal da Vivo e, quando reclamou, foi informada pela operadora de que havia um débito.

"Eles não mandaram a fatura. Fui retirar a segunda via e paguei. Mesmo assim, não reativam o sinal", afirma.

Resposta A Vivo esclarece que o serviço foi cancelado. A empresa afirma, ainda, que tentou falar com a cliente, em diferentes dias e horários, mas não conseguiu contato para prestar os esclarecimentos necessários.

Magazine Luiza

O analista de sistemas Celso Garcia Botelho, 52 anos, do Tatuapé (zona leste), conta que, em abril,  comprou um sofá retrátil de quatro lugares no Magazine Luiza, por R$ 1.200, que foi entregue com defeito.

"Na loja, o sofá ficava parado na posição inicial, mas, em casa, a trava não funciona. Isso tem prejudicado a minha coluna. Os braços eram bem costurados e acabados, e não grampeados como o que recebi. O acabamento é horrível."

Resposta O Magazine Luiza informa que entrou em contato com o consumidor e autorizou o cancelamento da compra ou a troca do produto. 

A empresa diz ainda que o cliente informou ter recebido a visita do técnico e que ele realizou os devidos reparos no produto,por isso o consumidor não tem mais interesse no cancelamento.

Segundo a loja, caso o leitor mude de ideia, o procedimento de troca ou cancelamento do produto ficará disponível até 7 de junho via central de atendimento.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.