Conheça truques de quem é louco por desconto e promoção

Pessoas de todas as idades aproveitam ofertas para pagar menos na crise

Laíssa Barros
São Paulo

Crise econômica, desemprego, preços altos e estagnação no valor do salário. Em tempos como os atuais, qualquer desconto ou promoção pode ajudar.

O Agora ouviu histórias de quem usa cupons, compara folhetos e faz parte de clubes de fidelidade para ter desconto em todo tipo de compra: supermercados, farmácia, lazer, viagens, itens de beleza e bares e restaurantes. 

O geofísico Marcelo Bravo, 29 anos, começou com os panfletos de restaurantes e supermercados. Hoje, ele tem aplicativos de desconto de todas as redes e pesquisa muito antes de comprar. “Comecei usando panfletos de descontos dos restaurantes, mas logo os cupons em papel migraram para os aplicativos. Aí aproveitei para baixar também os de supermercados.”

 
O geofísico Marcelo Bravo, 29 anos, começou com panfletos e, hoje, tem cupons de vários supermercados; ele já diminuiu 30% dos gastos com comida" - Ronny Santos/Folhapress

Ele diz que a economia é perceptível. “Usando os cupons, percebi que fazia muita diferença no meu orçamento, principalmente agora que estou desempregado”, conta Bravo.

“Qualquer economia ajuda muito. Resolvi então dar atenção a isso e já cheguei a diminuir 30% dos meus gastos em alimentação só com os descontos. A dica é pesquisar nos aplicativos antes de sair de casa, dar preferência para os produtos que estão em promoção e escolher o melhor lugar para fazer as compras”, afirma.

“O bom é que não são só produtos e itens esporádicos que ficam na promoção, na maioria das vezes, eu consigo descontos até mesmo em produtos básicos como arroz e feijão”, ensina o geofísico.

Consumidoras não abrem mão do lazer 

“Já fui em restaurantes que jamais frequentaria se não fossem os cupons”, conta a psicóloga Lara Ribeiro, 30 anos. “O valor integral seria uma fortuna, mas, com as promoções de compras coletivas, pago quase um terço do valor real”, ensina. 

Lara, que é autônoma, afirma que, há mais de seis anos, utiliza as compras coletivas como uma forma de aliviar o bolso e não abrir a mão do lazer. “Sempre dou uma olhada nas promoções do final de semana e aproveito para conhecer novos lugares. Já economizei em ingressos para shows, teatros, bares e restaurantes. Sempre indico”, diz.

Em sites e aplicativos de compras coletivas, os consumidores podem resgatar cupons de vários tipos de produtos e serviços. 

O valor é muito mais baixo do que o normal, pois os estabelecimentos fecham parcerias com os sites como forma de fazer propaganda e atrair novos clientes.

A estudante Bárbara Moura, 19, aproveita os cupons de desconto do aplicativo Cuponeria, que reúne promoções de diversas marcas e estabelecimentos. “Quase nunca tenho dinheiro. Com o Cuponeria, consigo bons descontos. Chego a economizar R$100 por mês.” 

A estudante Bárbara Moura, 19 anos, diz que consegue economizar R$ 100 por mês. "Quase nunca tenho dinheiro. Como Cuponeria, consigo bons descontos."
A estudante Bárbara Moura, 19 anos, diz que consegue economizar R$ 100 por mês. "Quase nunca tenho dinheiro. Como Cuponeria, consigo bons descontos." - Rivaldo Gomes/Folhapress

Aposentados aproveitam programas de farmácias

O casal de aposentados Carmen Mattos, 68, e Francisco Pereira, 73, são usuários assíduos dos programas de fidelidade das redes de farmácias e drogarias.

Para ter direto, os consumidores, mesmo os que não são aposentados, precisam cadastrar o CPF nas redes. Quando vão as lojas, os clientes são informados das promoções disponíveis para os seus perfis. 

“Conseguimos descontos em produtos de higiene pessoal e até em remédios. É muito fácil e rápido”, conta Pereira. “Nunca tivemos problemas com propagandas enganosas. Ganho um salário mínimo como aposentada, não dá pra comprar nada. Por isso, quando consigo um desconto, é só alegria”, diz Carmen. 

Preste atenção e não caia em furadas

O professor da FGV, Arthur Igreja, especialista em inovação, afirma que, além de fazer economia nas compras, é importante que o consumidor fique atento para não cair em furadas. “Recomendo que todos leiam atentamente as condições dos descontos, principalmente os digitais. Nas entrelinhas estão a validade e o tipo de desconto que você está usando”, ensina. O professor ressalta que o consumidor nunca deve comprar por impulso. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.