Educação municipal muda regras para professor trocar de escola

Prefeitura da capital revoga decreto que proibia transferência durante estágio probatório

Ana Paula Branco
São Paulo

A Prefeitura de São Paulo, sob gestão Bruno Covas (PSDB), atendeu aos pedidos de professores da rede municipal e revogou duas portarias.

Entre elas, o decreto municipal nº 58.740, publicado no "Diário Oficial" da Cidade de SP no dia 3 de maio, que impede que os profissionais em estágio probatório e outras condições de exercícios de função (como afastados e licenciados) se inscrevam no processo de transferência.

Alunos em sala de aula da escola Municipal Tom Jobim em Santana do Parnaiba (Grande SP)
Joel Silva -12.dez.2012/Folhapress


Segundo informou a Secretaria Municipal de Educação, os professores que já estão na rede não terão que cumprir as exigências para pedir a transferência de seus postos.

A regra continua valendo, no entanto, para quem ainda vai ingressar na rede municipal de ensino.
Para Cláudio Fonseca, presidente do Sinpeem (Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo), a "administração municipal teve bom senso". 

Ele diz que a alteração vai evitar que professores que moram longe de suas escolas sejam prejudicados.

Outra mudança é na portaria 27, sobre atribuições de aulas. Segundo a Secretaria Municipal de Educação, os professores que, no decorrer do ano letivo se afastarem das funções do cargo base, terão garantidas suas atribuições de classe e de aula.

As alterações serão publicadas nesta terça-feira (18) no "Diário Oficial" da Cidade de SP e entram imediatamente em vigor.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.