Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Esquina no Butantã fica intransitável;veja outras reclamações

Aposentado diz que, há meses, reclama à prefeitura sobre o entulho na calçada

Ana Paula Branco
São Paulo

O aposentado Carlos Roberto Ribeiro, 65 anos, do Jardim das Esmeraldas, Butantã (zona oeste), afirma que a rua Silvestre Ventura, esquina com a estrada do Jaguaré, está “virando um verdadeiro lixão”.
De acordo com o leitor, a parte da calçada em frente a uma oficina tem carros velhos, rodas e pneus abandonados.

Carros abandonados na região da Vila Carrão (zona leste), na rua Cataldo Amodei
Carros abandonados na região da Vila Carrão (zona leste), na rua Cataldo Amodei - Ronny Santos/Folhapress 14 fev.2019

“Sou deficiente e tenho que passar pelo meio da rua, porque a calçada está tomada de lixo”, relata o leitor.
Ribeiro diz que já registrou mais de sete queixas à Prefeitura de São Paulo, mas nada foi resolvido até o momento. “Estou implorando ajuda ao Agora para que essa situação seja resolvida.” 

Prefeitura de São Paulo: 156

Prefeitura limpa e recolhe lixo

A Subprefeitura do Butantã afirma que, em 8 de junho, foi realizada a limpeza da rua Silvestre Ventura.
De acordo com a Prefeitura de São Paulo, o lixo e os materiais indesejáveis foram recolhidos, deixando o local transitável para os pedestres. A nota diz ainda que os serviços de limpeza e zeladoria são realizados periodicamente na região.

A prefeitura diz que, em 2018, na região do Butantã, foram recolhidas cerca de 10,3 mil toneladas de entulho em serviços de varrição e recolhimento de entulho.

A subprefeitura ainda ressalta que o descarte irregular de entulho em vias públicas é passível de multa no valor de até R$ 16.003,53, além de ser considerado crime ambiental.

______________________________________________________

Veja outras reclamações

Claro 

O aposentado Célio José do Amaral, 72 anos, de Taboão da Serra (Grande SP), conta que cancelou sua assinatura da Claro em dezembro de 2018. Porém, diz, desde fevereiro está recebendo ligações de cobrança. “Dizem que a fatura de fevereiro não foi paga, sendo que retiraram todos os aparelhos em janeiro.”

Resposta 

A Claro afirma que tentou entrar em contato com Célio José do Amaral para a finalização do caso, porém sem sucesso. A operadora diz que continua à disposição por meio de seus canais de atendimento.

TIM

A doméstica Maria de Lourdes Barbosa de Barros, do Parque São Lucas (zona leste), afirma que pagava R$ 34,99 pelo seu plano da TIM e, em fevereiro, o valor aumentou para R$ 44,99. “Em março, a fatura foi de R$ 58,06, em abril, de R$ 91,39 e, em maio, de R$ 92,79. Contestei, não paguei, e bloquearam meu celular.”

Resposta 

A TIM esclarece que foi realizado ajuste de R$ 45,86 referente às faturas de abril e junho e compensado o valor de R$ 46,93, pago a mais na fatura de maio. A operadora afirma que encaminhou boleto único com o valor de R$ 44,79 para o email da cliente.

Banco do Brasil 

O aposentado Mauro Roberto de Lima, 67 anos, de Araxá (MG), diz que, há muitos anos, adquiriu um seguro de vida do Banco do Brasil e que, após ele completar 60 anos, o valor das parcelas aumentou demais. “Estou pagando R$ 1.600 por mês, mais da metade da minha aposentadoria.” 

Resposta

Em nota da assessoria de imprensa, o Banco do Brasil afirma que entrou em contato com o cliente e prestou esclarecimentos sobre as operações firmadas, permanecendo à sua disposição para prestar assessoria e esclarecer quaisquer dúvidas.

Metra

Leandro Aparecido Ferreira, 38 anos, de São Mateus (zona leste), relata que as escadas rolantes do Terminal São Mateus estão inoperantes desde o ano passado. Ninguém toma providência alguma.

Resposta

A Concessionária Metra esclarece que as escadas rolantes do Terminal São Mateus estão passando por manutenção. A previsão, de acordo com a empresa, é que a escada que dá acesso à plataforma C comece a funcionar na próxima semana. A que acessa a plataforma D passa por processo de modernização e a equipe diz trabalhar para que ela volte a funcionar no menor tempo possível. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.