Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Idoso não encontra vacina em postos da capital paulista

Leitor diz que funcionários não souberam informar quando haverá estoque

Ana Paula Branco Havolene Valinhos
São Paulo

Em 10 de junho, após quase 30 dias internado, Evandro Porto Pereira, 60 anos, da Vila Regente Feijó (zona leste), foi ao posto da Vila Bertioga e ao da Vila Santa Clara, para tomar a vacina contra a gripe e não conseguiu.

“Não sabem quando vai chegar! Parece loteria encontrar um posto que tenha a vacina", queixa-se.

"Acho que a logística da prefeitura é falha nesse sentido. Não posso ficar percorrendo todos os posto de saúde todos os dias, pois não sei se terei êxito ou não", afirma Pereira.

Fila de vacinação da gripe no UBS do Cambuci
Fila de vacinação da gripe no UBS do Cambuci - Rubens Cavallari -5.jun.2019/Folhapress

Resposta A Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo esclarece que a campanha de vacinação contra a gripe, voltada apenas aos chamados grupos prioritários, começou no dia 10 de abril na capital paulista e foi encerrada no dia 31 de maio.

Após o término da campanha, afirma em nota, o município seguiu a recomendação do Ministério de Saúde e abriu a vacinação também para a população em geral.

A prefeitura diz que é importante ressaltar que não se trata de uma nova campanha. A vacinação para o público em geral continua enquanto durarem os estoques, conforme a orientação do órgão federal.

Outras reclamações

Net 

A aposentada Benedita Regina da Conceição Araújo, 82 anos, de Rio Claro (173 km de SP), diz que quer cancelar seu plano de TV da Net, mas foi informada sobre um contrato de fidelidade. “Eu desconheço esse contrato. Estão cortando o sinal da TV toda hora, é um absurdo. Renegociei uma dívida com eles para ter o pacote funcionando normalmente.”

Resposta Por meio de nota de sua assessoria de imprensa, a Net afirma que entrou em contato com a cliente e solucionou o caso. A operadora diz ainda que permanece à disposição para quaisquer outros esclarecimentos.

Carrefour

Há sete meses, Juliana Oliveira Feitosa, 18 anos, de Taboão da Serra (Grande SP), comprou um colchão no Carrefour e não recebeu o produto. A consumidora conta que cancelou a compra, mas ainda aguarda o estorno do valor pago no cartão de crédito. “Toda vez que entro em contato é sempre a mesma coisa, dizem que vão me ligar e ninguém me dá uma resposta.”

Resposta O Carrefour afirma que, em contato com Juliana Oliveira Feitosa, confirmou o estorno do valor estipulado no momento da compra, no dia 7 de junho. A rede de lojas diz que permanece à disposição da cliente.

Extra.com

A técnica de enfermagem Luciana Del Franco Pinheiro, 46 anos, do Campo Limpo (zona sul), conta que, em setembro de 2018, comprou um celular no Extra.com, por R$ 699, para retirá-lo em uma loja próxima à casa dela. Porém, a leitora afirma que não conseguiu retirar o produto por divergências de informações.

“Por um erro no sistema constava como titular da compra o CPF da minha tia, que já é falecida, o email do meu irmão e apenas o cartão de crédito em meu nome. No mesmo dia, na própria loja, solicitei o cancelamento da compra e o estorno no cartão”, explica.

“Estou terminando de pagar o aparelho, pois fiz em dez vezes no cartão, e não devolvem o valor. É um desrespeito”, diz Luciana. 

Resposta O Extra.com informa, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que foi liberado o estorno e a consumidora Luciana Del Franco Pinheiro deve visualizá-lo na próxima fatura.

A empresa diz ainda estar à disposição da cliente.

Em novo contato com o Agora, a leitora disse que vai aguardar.

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.