Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Cliente paga R$ 1.000 por conserto, mas defeito em geladeira persiste

Vigilante exige que Brastemp resolva problema em definitivo; veja outras queixas

Havolene Valinhos Laíssa Barros
São Paulo

O vigilante Adriano Alves da Silva, 37 anos, do Capão Redondo (zona sul), conta que, em 2009, comprou uma geladeira Brastemp, mas, desde fevereiro, ela parou de funcionar.
Segundo o leitor, a parte inferior não está resfriando nem a de cima congela.

“Liguei na assistência da marca, agendei com um técnico. Ele falou que o motor estava ruim e que precisaria trocar. O orçamento ficou em R$ 1000. Achei caro o valor, porém como uma geladeira nova custaria mais, imaginei que compensaria e aceitei a proposta”, diz.

“Passaram-se dois meses e ela começou a dar o mesmo defeito. Veio outro técnico. Mas, dessa vez, ele falou que precisaria trocar o termostato. Ficaria em mais R$ 550. Não aceitei, claro. Acabei de gastar R$ 1.000 no conserto e eles apresentam outro problema”, queixa-se o leitor à reportagem.

Silva afirma que ligou novamente para a Brastemp e mandaram o terceiro técnico. “Ele disse que teria que fazer uma limpeza de sistema pelo custo de R$ 192.  “É um absurdo atrás do outro”, reclama o leitor. 

O vigilante Adriano Alves da Silva, 37 anos, do Capão Redondo (zona sul), conta que, em 2009, comprou uma geladeira Brastemp, mas, desde fevereiro, ela parou de funcionar. - KEINY ANDRADE/FOLHAPRESS

Fabricante promete fazer troca de peça

A Brastemp esclarece, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que realizará a substituição da peça, conforme acordado com o consumidor.

Em novo contato com o Agora, o leitor confirmou o contato da empresa. “Prometeram fazer o conserto amanhã sem cobrar nada a mais. Vou esperar”, disse Silva à reportagem.

Outras reclamações 

TIM 

Liliana Dell Isola, 42 anos, da Vila Silvia (zona leste), afirma que a TIM vem cobrando o valor errado pelo pacote contratado por ela. “Tudo começou quando pedi o cancelamento da minha linha. A operadora ofereceu um desconto e resolvi continuar com a TIM, mas comecei a receber faturas com o valor acima do que foi combinado”, diz Liliana. 


RESPOSTA 

A TIM informa que entrou em contato com a leitora e encaminhou um boleto com o valor reajustado. 

Claro 

O aposentado Elias Atum, 76 anos, da Penha (zona leste), reclama que solicitou em fevereiro o cancelamento de sua linha telefônica da Claro, mas a operadora continua cobrando o pagamento do serviço. “Já entrei em contato com a ouvidoria e não resolveram o problema”, diz o aposentado. 


RESPOSTA

A Claro informa que está em contato com a cliente para resolver o caso.


BV 

O estudante Ivon Domingos Dias, 42 anos, da Freguesia do Ó (zona oeste), conta que possui um cartão BV Internacional e afirma que a financeira está deletando do sistema os pontos a que ele tem direito pelo uso do cartão. “Estou sendo lesado pela BV e quero meus pontos de volta”, afirma Dias. 

RESPOSTA

A BV informa que a diferença reclamada pelo leitor foi causada por pontos expirados.

Itaú 

"O Itaú tem uma excelente equipe de ‘fechadores de demandas dentro do prazo’, mas não tem uma equipe para solucionar os problemas dos clientes. Fiz várias reclamações e todas foram encerradas sem respostas", diz  Alexandre Brom, 60 anos.


RESPOSTA 

O Itaú informa, em nota, que consultou os protocolos registrados pelo leitor e identificou que os casos foram esclarecidos. O banco afirma que tentou falar com o Brom, mas não teve sucesso. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.