Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Espera por cirurgia em Osasco já dura 24 meses

Aposentada reclama que não consegue agendar cirurgia de catarata; veja outras queixas

Laíssa Barros Havolene Valinhos
São Paulo

A aposentada Neide de Almeida dos Santos, 83 anos, de Osasco (Grande SP), conta que está na fila de espera por uma cirurgia de catarata na rede pública de saúde de sua cidade há dois anos. 

“Tenho diagnóstico de catarata senil nuclear e os documentos para o agendamento de uma cirurgia, mas estou esperando uma data há 24 meses”, diz a aposentada à reportagem. A leitora afirma estar ficando cega e diz não conseguir sair sozinha de casa. 

“Não tenho condições de ter um cuidador especial. Muitas vezes, conto com a ajuda de vizinhos, mas eles também têm suas obrigações. Com a cirurgia, eu poderia voltar a ter autonomia”, afirma a aposentada.

De acordo com Neide, a Secretaria Municipal de Saúde de Osasco não passa informações sobre o seu caso. “Peço que me ajudem. Sinto que fui abandonada pelo poder público. Necessito de um serviço básico, mas não tenho acesso. Não quero ficar cega”, afirma.

0
Paciente é examinada por médica oftalmologista em um consultório da Rede Hora Certa na Vila Prudente, em São Paulo. - Lalo de Almeida/Folhapress

Secretaria de Osasco marca nova consulta

A Secretaria Municipal de Saúde de Osasco informa, em nota enviada pela assessoria de imprensa, que agendou uma consulta com um oftalmologista na Santa Casa São Paulo para avaliação do caso da leitora. Em novo contato, Neide Almeida dos Santos disse que não recebeu nenhuma ligação da secretaria.

Outras reclamações

Vivo  

Rossana Di Giaimo Martinez, 59 anos, de Caraguatatuba (173 km de SP), conta que é assinante da internet da Vivo, mas reclama que ficou sem sinal do serviço por dias. “Solicitei o reparo técnico três vezes e a atendente apenas diz para aguardar o prazo de 24 horas.” 

Resposta

A Vivo informa, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que entrou em contato com a consumidora e esclareceu que a dificuldade já foi solucionada. A empresa diz ainda estar à disposição para prestar esclarecimentos.

Ponto Frio  

O pesquisador Márcio Antônio Drummond, 64 anos, do Rio de Janeiro (RJ), reclama que, em junho, comprou um iPhone no site do Ponto Frio e não recebeu o produto. “Paguei à vista, pois precisava muito do aparelho para trabalhar, agora fiquei completamente no prejuízo.”, queixa-se à reportagem.

RESPOSTA 

O Ponto Frio informa, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que entrou em contato com o leitor e enviou um email para que o cliente confirme posteriormente o recebimento do produto. A empresa diz ainda estar à disposição do consumidor.


Sabesp 

A aposentada Francisca Clemente Franco, 83 anos, da Vila Uberabinha (zona sul), informa que tem uma obra da Sabesp em seu bairro que deixou buracos pelas ruas. “Ligamos para a empresa, mas ninguém resolveu nada. Algumas pessoas já se machucaram. Um verdadeiro descaso”, diz. 


Resposta 

A Sabesp esclarece, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que vistoria feita no bairro não constatou pendências de reposição do pavimento no local. A concessionária afirma ainda ter entrado em contato com a leitora, que confirmou a conclusão dos trabalhos. 

Netshoes

"Comprei um tênis no site da Netshoes e em pouco tempo de uso a sola do sapato rachou. O site deles não tem SAC. Tentei entrar em contato por email e redes sociais, mas não obtive nenhum retorno", diz Emily Guimarães, 30 anos 


RESPOSTA 

A Netshoes informa, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que liberou um vale-compras para a consumidora Emily Guimarães. Além disso, a empresa afirma que já agendou a retirada do tênis danificado. 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.