Descrição de chapéu INSS

Veja como fazer a prova de vida para não perder o benefício

Falta do procedimento é a principal causa de suspensão de aposentadoria no pente-fino do INSS

Ana Paula Branco
São Paulo

O INSS encerrou 170 mil benefícios em todo o país no pente-fino deste ano até o momento. Só no estado de São Paulo estão suspensos 26,1 mil pagamentos, que podem ser restabelecidos por meio de recurso. A principal causa dessa suspensão é a falta da prova de vida do beneficiário.

Na tentativa de evitar fraudes e pagamentos indevidos, desde 2012, o INSS exige que seus segurados comprovem que estão vivos para que o benefício seja mantido. O procedimento é obrigatório e deve ser feito a cada 12 meses.

Os segurados são comunicados pela rede bancária sobre a data em que devem se apresentar na agência onde recebem o benefício. É necessário estar com um documento de identificação com foto (como RG, carteira de trabalho ou carteira de habilitação).

Alguns bancos fazem a verificação nos caixas eletrônicos, usando a biometria (com leitor de impressões digitais, por exemplo).

Desde março deste ano, quem tem mais de 60 anos pode agendar o atendimento em uma das agências do INSS pelo telefone 135. Já os beneficiários acima de 80 anos ou com dificuldades de locomoção podem solicitar que um servidor do INSS vá até sua casa.

Bloqueio da grana

Quem ficar sem realizar a prova de vida por mais de 12 meses terá o pagamento bloqueado. Mas mesmo que perca a data prevista, o segurado pode fazer o procedimento e garantir o retorno do benefício.

Segundo o INSS, a liberação a grana é automática, tão logo o segurado ou o seu representante legal compareça para fazer o procedimento. Porém é preciso ficar atento: se a comprovação não ocorrer em seis meses, o benefício é cortado.

Além dos atingidos pelo pente-fino iniciado em 12 de julho, até 26 de março deste ano, mais de 117 mil benefícios já haviam sido bloqueados pelo INSS em São Paulo por falta da comprovação de vida do beneficiário.

Fé de vida | Para não perder a grana do INSS

  • O pente-fino do governo federal nos benefícios do INSS encerrou pagamentos de 170 mil segurados no primeiro semestre de 2019 em todo o país
  • Em São Paulo, 26,1 mil benefícios estão suspensos, com possibilidade de restabelecimento por meio de recurso, e 7.201 foram definitivamente cortados

Sem provar que está vivo
Entre as principais causas da suspensão está a falta da prova de vida pelo beneficiário

ENTENDA

  • Desde 2012, os segurados do INSS devem comprovar que estão vivos para manter o benefício ativo
  • O procedimento é chamado de prova de vida ou fé de vida e é obrigatório

Quando deve ser feita?

  • É preciso provar uma vez a cada 12 meses que se está vivo
  • A data-limite depende de cada banco
  • Há bancos que utilizam a data do aniversário do beneficiário 
  • Outros usam a de aniversário do benefício como prazo para comparecer à rede bancária com os documentos
  • Alguns deles convocam o segurado no mês que antecede o vencimento da fé de vida

Onde se apresentar?

  • Basta ir diretamente ao banco em que recebe o benefício, com um documento de identificação com foto
  • Pode ser carteira de identidade, carteira de trabalho, CNH (Carteira Nacional de Habilitação) ou outros
  • Algumas instituições financeiras já utilizam a tecnologia de biometria nos caixas eletrônicos

Agendamento no INSS

  • Idosos acima de 60 anos podem agendar para serem atendidos em uma das agências do INSS
  • Já os segurados acima de 80 anos e beneficiários com dificuldades de locomoção podem agendar para que um servidor do INSS vá até a casa ou outro local em que estiverem, para que seja realizado o procedimento
  • O agendamento pode ser feito pela Central 135 e pelo site Meu INSS 

Por procuração
Os beneficiários que não puderem ir até às agências bancárias por motivos de doença ou dificuldades de locomoção também podem realizar a comprovação de vida por meio de um procurador cadastrado no INSS

FIQUE ATENTO!

  • Quem não fizer a prova de vida no final de 12 meses da última comprovação terá o pagamento do benefício interrompido
  • Após seis meses sem comprovação de vida, o benefício é cortado

O que fazer se perder o prazo

  • Vá diretamente no banco em que recebe o benefício, com um documento de identificação com foto
  • Se o benefício já tiver sido suspenso, ele voltará a ser pago normalmente
  • Neste caso, os valores retidos também serão liberados


Fonte: INSS (Instituto Nacional Do Seguro Social)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.