Governo promete queda no preço do botijão

Subsídio ao gás da Petrobras vai acabar; para distribuidoras, medida é positiva

Laísa Dall'Agnol
São Paulo

O preço do botijão de gás de 13 quilos deve começar a pesar menos no bolso dos brasileiros nos próximos meses.

O governo determinou nesta quinta-feira (29) o fim do subsídio na venda do gás de cozinha que vinha sendo praticado pela Petrobras e, com isso, espera uma redução dos preços para os consumidores do país.

Com o fim da vantagem competitiva da estatal, o governo considera que concorrentes vão se mobilizar para importar o GLP (combustível do gás de cozinha), a exemplo do que fez a Copagas, que passou a comprar diretamente da Bolívia.

Estimativas iniciais indicam que, com a entrada de novos competidores, o preço do gás de cozinha deve cair de R$ 23 na refinaria para cerca de R$ 16.

Embora não informe quanto o cliente final desembolsará a menos com a medida, Sergio Bandeira de Mello, presidente da Sindigás (sindicato das distribuidoras), prevê que as famílias também serão beneficiadas com a redução dos preços.

“Se não existisse subsídio, os preços na refinaria estariam 20% mais baixos. A tendência é que se alcance esse patamar no começo da cadeia e que essa queda vá se transmitindo até chegar no consumidor final.”

As reduções da Petrobras no preço do botijão para as distribuidoras não têm tido efeito prático para quem compra o gás de cozinha.

Levantamento do Agora mostra que, após a diminuição de 8,17% no valor do gás no começo do mês, os preços na capital não tiveram alteração.

A pesquisa da reportagem aponta valores do botijão de gás entre R$ 60 e R$ 85, dependendo do bairro. (com Folha)

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.