Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Hidrômetro está quebrado há 6 meses;veja outras reclamações

Leitor afirma ter dificuldades para que a Sabesp faça a troca do equipamento

Laíssa Barros Havolene Valinhos
São Paulo

O coveiro Gilson Carlos Barboza, 45 anos, do Capão Redondo (zona sul), conta que, há seis meses, espera a substituição de seu hidrômetro. “Fizemos a solicitação da troca do equipamento no dia 17 de fevereiro e, até hoje, não efetuaram o serviço”, conta ao Agora.

Hidrômetro em casa da zona norte
Hidrômetro em casa da zona norte - Julia Chequer/Folhapress 01 Abr.2014

Segundo ele, o hidrômetro está todo embaçado, o que dificulta a leitura do consumo. “Nos últimos seis meses tivemos divergências na leitura”, afirma. Por esse motivo, diz o leitor, os valores estão sendo cobrados pela média do serviço prestado. 

“Eles não são bobos. Preferem continuar cobrando a média do que colocar o equipamento novo e descobrir que, na verdade, estou consumindo muito menos”, reclama. “Estou cheio de protocolos, mas sem nenhuma data agendada. No site da Sabesp informam que o prazo da troca deste equipamento é de dois dias. Por que então o meu pedido já dura 180?”, queixa-se o leitor.

Barboza espera que, com ajuda do Defesa do Cidadão, o problema seja resolvido. “Tentamos muitas vezes e nunca tivemos uma solução. Temos direitos de ter um hidrômetro que funcione”, afirma. 

Sabesp
Tel.: 195

Sabesp faz a substituição do equipamento

A Sabesp informa, em nota enviada por sua assessoria de imprensa à reportagem, que realizou a troca de hidrômetro no último sábado, 10 de agosto. A companhia diz ainda que segue à disposição do leitor para eventuais esclarecimentos. 
Em novo contato com o Agora, Barboza confirmou que o serviço foi feito após a intervenção do jornal.

__________________________________________________________________________________________

Veja outras reclamações

Marabraz

O funcionário público Jailson da Cruz, de Carapicuíba (Grande SP), conta que comprou um guarda-roupas na loja Marabraz, mas ao montá-lo percebeu que o produto veio com alguns defeitos. “Pedi que a empresa trocasse o guarda-roupas, mas não querem me dar outro produto. Paguei e tenho direito de receber um guarda-roupas novo e não um quebrado.” 

Resposta 

A Marabraz informa, por meio de sua assessoria de imprensa, que entrou em contato com Jailson da Cruz para autorizar a troca do produto.

Vivo 

O autônomo Valter Roberto da Silva, 53 anos, de Guarulhos (Grande SP), afirma que, por duas semanas seguidas, fez recargas em sua linha pré-paga da Vivo, mas, após dois dias de uso, os créditos sumiram sem que ele fizesse telefonemas. “Só utilizei a internet nesse período, ou seja, não era o bastante para liquidar os meus créditos.” 

Resposta

A Vivo diz que não foram encontradas irregularidades na cobrança do cliente. A operadora diz ainda que tentou falar com o consumidor em diferentes dias e horários, mas não conseguiu contato para prestar os esclarecimentos necessários. 

Saúde 

A aposentada Maria Abadia Martinelli, 74 anos, da Vila Izolina Mazzei (zona norte), conta ter problemas de audição e, no último dia 2, ao passar em consulta na UBS (Unidade Básica de Saúde) de seu bairro, a atendente foi mal educada. “Ela disse que já havia chamado o número da minha senha e eu não tinha me posicionado.” 

Resposta 

A Secretaria Municipal de Saúde diz que, em contato, a própria paciente classificou o caso como um mal entendido. Segundo relato de Maria à Saúde, a falha foi que, no dia de sua consulta, não conseguiu ouvir quando a atendente a chamou.

TIM

O aposentado Jeronimo Euclides Ribeiro, 81 anos, afirma que a TIM manda mensagens de promoções o dia inteiro. O pior é que desconta isso dos meus créditos. Já registrei reclamações na operadora, mas não adiantou nada.

Resposta

A TIM informa, por meio de sua assessoria, que no sistema não constam cobranças referentes à ativação dos serviços realizados por SMS. A operadora diz ainda que o consumidor está ciente de que o serviço TIM Pré Top, que foi cobrado anteriormente, não será cobrado novamente. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.