Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Moradora denuncia carro estacionado na porta de sua casa

Atendente diz que veículo virou depósito de sacolas e até de facas: "Estou com medo."

Laíssa Barros
São Paulo

A atendente Maria das Graças Pelli, 57 anos, da Saúde (zona sul), reclama que, há mais de quatro meses, um veículo está abandonado em frente à sua casa.

“O carro está lá todo esse tempo e ninguém apareceu para retirá-lo, mas, de uns 15 dias para cá situações estranhas começaram a acontecer. Pessoas estão usando o carro para dormir e também para guardar sacolas. Outro dia vi até um facão dentro do veículo”, relata.

Maria diz que ligou para a polícia e para a Prefeitura de São Paulo para denunciar o abandono do veículo, mas não obteve qualquer resposta.

“Fico morrendo de medo de acontecer alguma coisa séria comigo ou com qualquer pessoa do bairro. Chego tarde da noite e até tenho receio de entrar em casa sabendo que o veículo virou depósito de sacolas e facas. Pensei que a prefeitura tomaria alguma atitude, mas nenhuma providência foi tomada até o momento, o que considero gravíssimo”, afirma ao Agora.

“Espero que, com a ajuda do Defesa do Cidadão, alguma coisa seja feita para resolver o caso. Os dias estão passando e o carro continua lá. Não é possível que a prefeitura não possa fazer nada”, queixa-se.

Maria das Graças Pelli, 57 anos, afirma que um carro está abandonado em frente à porta de sua casa, no bairro da Saúde. “Pessoas estão usando o carro para dormir e também para guardar sacolas”, diz   - Rubens Cavallari/Folhapress

Veículo foi retirado do local 

A Subprefeitura Vila Mariana informa, em nota, que realizou vistoria no local no dia 4 de setembro e não encontrou o veículo abandonado no endereço apontado pela reportagem.

Ao Agora a leitora afirmou que, após a reportagem ir até o local, o carro foi retirado da frente de sua casa na madrugada no dia 4 de setembro. “Certamente o responsável ficou sabendo que seria feita uma reportagem sobre o carro.” 

Assuntos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.