Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Leitora descobre cobranças indevidas em sua conta de celular

Leitora afirma que deveria pagar R$ 170, mas recebeu fatura de R$ 470

Havolene Valinhos
São Paulo

A consultora de comunicação Cristiane da Silva Rocha Martins, 32 anos, tomou um susto ao ver o valor da conta de celular disparar.

Ela estava acostumada a pagar, em média, cerca de R$ 170. Mas, no último mês, teve de desembolsar R$ 470.

Cristiane descobriu que outros dois números desconhecidos estavam vinculados à conta dela desde 2016. “Estava pagando por essas outras contas no débito automático, por isso nem percebi. Elas nunca foram contratadas por mim.”

Gabriel Cabral/Folhapress

A leitora conta que acionou a Claro e solicitou a exclusão dos outros números, além do estorno dos valores pagos anteriormente, mas o pedido foi negado. 

“Estou sendo lesada e minhas denúncias estão sendo ignoradas. Quero que a Claro reconheça que essas contas vinculadas ao meu número não são minhas.”

Para piorar, ela descobriu que a Claro havia cobrado uma taxa de roaming internacional, que ela teria adquirido graças aos pontos da operadora para uma viagem à Europa, em 2018. 

Claro entra em contato com a consumidora

A Claro informa que está em contato com a cliente para finalização do caso.

A operadora diz ainda que continua à disposição da consumidora Cristiane da Silva Rocha Martins, por meio de todos os canais de atendimento: SAC 1052, fale conosco, chat, atendimento por carta e pelo site da empresa www.claro.com.br.

Veja outras reclamações 

Vivo 

O aposentado José Alcides Muller, 69 anos, de Avaré (265 km de SP), conta que está com algumas dúvidas em relação a sua fatura da Vivo, mas não consegue falar com nenhum funcionário da operadora. “Sempre a ligação é passada para outro pessoa e, no fim, ninguém responde nada. Será que alguém da operadora poderia ter o mínimo de bom senso?” queixa-se. 


Resposta 

A Vivo informa que o caso do leitor está sendo analisado e entrará em contato com o cliente para prestar os esclarecimentos necessários.

Bradesco  

A copeira Teresinha Cristina Pereira Arruda, 53 anos, de Guarulhos (Grande SP), reclama que está tentando pagar adiantado uma parcela de um empréstimo que fez com o Bradesco, mas, por razões que ela desconhece, o banco não está aceitando receber seu dinheiro. “Nunca vi isso na vida. Quero pagar e eles não aceitam”, afirma a leitora. 


Resposta 

O Bradesco informa, por meio de nota enviada por sua assessoria de imprensa, que encaminhou correspondência para a consumidora com as devidas explicações. O banco diz ainda estar à disposição.

Ri Happy 

A supervisora de recursos humanos Najara Alves Vian, 30 anos, da Brasilândia (zona norte), afirma que fez uma compra pelo site da Ri Happy, mas não recebeu todos os produtos pagos por ela. “Depois de debitarem o dinheiro do meu cartão, avisaram que alguns produtos não estavam no estoque. Pedi para cancelarem a compra, mas estão me enrolando”, queixa-se Najara. 


Resposta

A Ri Happy informa, em nota enviada por assessoria de imprensa, que o comprovante de cancelamento da compra foi enviado para o email da leitora no último dia 11 de outubro.

Enel

Recebi um comunicado da Enel avisando que farão uma manutenção na rua do meu escritório. Eles pedem para que todos desliguem os aparelhos elétricos no dia estipulado, mas não confirmam se o serviço será mesmo feito.  Achei uma falta de respeito, diz Cláudio Nunes Patrocínio


Resposta 

A Enel informa, em nota enviada por sua assessoria de imprensa, que realizou contato com o leitor, esclareceu a importância e as razões para o desligamento programado em questão. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.