Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Morador reclama de barulho em igreja; veja outras reclamações

Leitor afirma que acorda às 4h da manhã, mas não consegue dormir

Kelly Mantovani Havolene Valinhos
São Paulo

O securitário Osmare Pires, 71 anos, da Vila Albertina (zona norte), conta que, há seis meses, convive com o barulho vindo de um templo evangélico após as 22h.

O leitor relata que precisa acordar às 4h todos os dias para trabalhar, mas não consegue dormir cedo por causa do barulho.

"Instalaram equipamento de som. Botam o volume no último estágio”, queixa-se à reportagem. 

Pacientes do hospital do Pari sofrem com barulho e sujeira provocados pelos comerciantes da feirinha da madrugada
Pacientes do hospital do Pari sofrem com barulho e sujeira provocados pelos comerciantes da feirinha da madrugada - Jardiel Carvalho/Folhapress 24 Ago.2018

Ele conta que, por diversas vezes, tentou negociar com os responsáveis, mas relata que não cumpriram o que foi combinado.

“Eu já fui lá, falei, eles prometem, mas não tomam as devidas providências. Eles não fazem nada”, afirma.

O leitor diz que também reclamou na Prefeitura de São Paulo, mas não adiantou.

“Todo domingo e nas segundas e quartas-feiras é um verdadeiro inferno. O pastor grita”, queixa-se Pires à reportagem do Agora.

“É algo insuportável. Já tem mais de seis meses essa situação. Peço ajuda ao Agora para acionar as autoridades”, diz. 

Prefeitura de São Paulo: 156

Subprefeitura da Brasilândia verificará local

A Subprefeitura da Freguesia/Brasilândia informa, por meio de nota, que verificará se o local possui licença de funcionamento. 

O Programa de Silêncio Urbano diz que não identificou registro de reclamação para o endereço. O leitor disse que, em novembro de 2018, fez uma reclamação no 156 sobre o caso.

____________________________________________________________________________

Veja outras reclamações

Vivo

O jornalista Ricardo Monzillo, 56 anos, do Jabaquara (zona sul), reclama que a Vivo está cobrando um valor maior do que o combinado em contrato pelo pacote de 50 Megabytes, que subiu de R$ 239 para R$ 331 neste mês. O leitor afirma que realizou diversas ligações para a central de atendimento, sem sucesso. 

Resposta

A Vivo informa, por meio de nota, que não foram encontradas irregularidades na conta do cliente. Ao Agora o leitor disse que não recebeu ligações da operadora. “Mas a situação foi resolvida.”

Oi

O comerciante Francisco Carlos Surjan, 61 anos, do Belenzinho (zona leste), afirma que, há dois anos, tem um plano pré-pago da Oi. Porém, em menos de um mês, a operadora mudou três vezes o plano sem a sua autorização. 

Resposta 

A Oi informa que o cliente foi acionado e o caso foi solucionado. “Não resolveram, apenas ofereceram outro plano”, disse o leitor.

Casasbahia.com

A funcionária pública Ercília Maria Espel, 65 anos, do Butantã (zona oeste), conta que, em setembro, comprou um conjunto de cozinha no site das Casas Bahia, mas o montador verificou a falta de uma das peças: o paneleiro. “Reclamei, mas não obtive nenhuma resposta.” 

Resposta

As Casasbahia.com informam que estão tentando contato com a consumidora.

Net

O comerciante Henrique Rainone, 59 anos, de Peruíbe (135 km de SP), afirma que, nas últimas semanas, seus pais de 85 anos, que precisam de repouso estão sendo incomodados pela Net. "São ligações para o telefone fixo de minha casa, com gravações chatas e ofertas de serviços que não quero e não pedi. Isso ocorre há vários dias e em horários distintos. "

Resposta

 A Net informa que entrou em contato com o cliente e solucionou o caso. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.