9 entre 10 vão pesquisar antes de comprar nesta Black Friday

Segundo dados da CNDL e do SPC Brasil, o gasto médio estimado por consumidor é de R$ 1.132

São Paulo

Os consumidores estão se preparando melhor para as ofertas da Black Friday, que será realizada na sexta (29).

Segundo pesquisa da CNDL (confederação de lojistas) e do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), 91% dos entrevistados planejam pesquisar os preços antes de comprar algum item na data, principalmente para confirmar se estarão realmente com desconto.

Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, o consumidor brasileiro está mais exigente.

"Tanto é que já começa a se preparar com antecedência para as promoções e pesquisar as ofertas antes de sair comprando", afirma ele.

Entre os que compraram na Black Friday do ano passado e querem comprar neste ano também, 35% esperam adquirir mais produtos e 31% economizaram para gastar mais que em 2018.

As lojas online continuam a ser o local preferido na data: 77% dos consumidores escolhem a internet, contra 33% que preferem ir aos shoppings para fazer suas compras.

A opção por não parcelar o pagamento cresceu em relação a 2018. Segundo a pesquisa, sete em cada dez consumidores vão optar pelo pagamento à vista, sendo que 48% deles preferem pagar em dinheiro. 

Já entre os consumidores que mencionaram optar pelo parcelamento no cartão de crédito (45%), a média será de seis prestações.

Os dados revelam ainda que quatro em cada dez (39%) só vão comprar se as ofertas realmente valerem a pena --crescimento de sete pontos percentuais em relação a 2018. Metade dos entrevistados tem a intenção de adquirir produtos e apenas 11% não devem aproveitar as promoções.

A pesquisa foi feita com 1.230 consumidores de ambos os sexos, acima de 18 anos e de todas as classes sociais nas 27 capitais.

De olho nos descontos | Confira a pesquisa

  • A edição da Black Friday deste ano ocorre no dia 29 de novembro
  • Segundo pesquisa da CNDL e do SPC Brasil, 9 em cada 10 entrevistados pretendem pesquisar os preços antes de adquirir algum produto na data
  • As vendas devem ser 9% maiores no que no ano passado, de acordo com a Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers)

Gasto médio

  • Em média, os consumidores devem comprar cerca de três produtos e gastar R$ 1.132 
  • No entanto, 40% dos entrevistados ainda não definiram o quanto pretendem gastar
  • A expectativa dos consumidores, segundo pesquisa da CNDL e SPC Brasil, é que os descontos sejam, em média, de 45%
  • 72% planejam pagar compras à vista

40% devem passar madrugada na internet para aproveitar as ofertas

Quem pretende participar

  • 76% dos entrevistados consideram a data uma oportunidade de adquirir itens que estejam precisando com preços mais baixos
  • 32% querem antecipar os presentes de Natal
  • Dos que participaram da Black Friday de 2018, 32% pretendem gastar mais neste ano
  • 68% estão evitando algum tipo de compra em outubro e novembro para aproveitar as ofertas

Locais de compra
A pesquisa também investigou os locais que os consumidores devem fazer as compras

  • 77% pretendem comprar nas lojas on-line
  • 33% preferem os shopping centers

Ítens mais procurados
1º lugar Roupas (36%)
2º lugar Eletrodomésticos (31%)
3º lugar calçados (29%)
4º lugar smartphones (28%) 

Dicas para não se dar mal

  • Acompanhe o preço dos produtos antes da Black Friday para garantir que o desconto é real
  • Evite clicar em links e ofertas recebidas por e-mail ou redes sociais. Faça a pesquisa direto na página oficial da loja, de preferência digitando o endereço do site
  • Leia avaliações de consumidores sobre o produto que pretende comprar e sobre o site
  • Verifique se o valor no carrinho corresponde à oferta anunciada e ao frete informado
  • Guarde todos os comprovantes da compra
  • O Procon-SP tem uma lista de sites não confiáveis. Confira pelo link https://sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php
  • Digite Ctrl + G e o nome da empresa que pretende consultar

Fontes: CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers), Hi Platform e Procon-SP

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.