Descrição de chapéu Defesa do Cidadão

Leitor reclama de seguro de celular

Professor diz que foi roubado e precisou pagar mais para ter um novo aparelho; veja outras queixas

São Paulo

O professor Alex Fabiano Nogueira, 43 anos, de Perdizes (zona oeste), relata que comprou um celular Samsung e contratou o seguro Sura. Nogueira conta que foi roubado recentemente e levaram o seu aparelho, pelo qual pagou R$ 2.300 no início do ano passado. 

Segundo o leitor, o vendedor lhe explicou que, em caso de sinistro, teria que pagar 25% do valor do celular, mas na prática ele teve que pagar 25% do valor máximo da cobertura, que seria de R$ 4.800.

“Cobram o preço da franquia como se o celular valesse R$ 4.800 mas, na verdade, vale R$ 2.300. Na prática, acabei pagando 50% do preço. Se for somar o preço do seguro com o da franquia, acabei pagando outro. O pior é que enviaram um modelo inferior.” 

Gabriel Cabral/Folhapress

Samsung diz que o estorno será realizado

A Samsung esclarece, em nota, que entrou em contato com o consumidor e informou que a seguradora Sura fará o reembolso. 

A empresa afirma ainda que acompanhará todo o processo de atendimento até a sua finalização.

Veja outras reclamações 

TIM 

A autônoma Dalva Silva de Sá, 44 anos, de Ribeirão Preto (313 km de SP), conta que, após comprar um novo celular, foi até uma loja da TIM trocar o chip. De acordo com ela, a atendente da loja informou que o dispositivo só seria vendido com aquisição de um plano de R$ 49 da operadora. “Aceitei pagar o valor, mas depois que a fatura chegou, fiquei sabendo que, na verdade, o valor cobrado é R$ 160. Isso não se faz. Eles precisam cumprir o combinado”, diz a leitora. 


Resposta 

A TIM informa, em nota enviada por assessoria de imprensa, que o caso da cliente foi solucionado.


Vivo 

O paisagista Rangel de Miranda Viana, 34 anos, do Jardim Guanhembu (zona sul), informa que, desde o fim de outubro, seus serviços de internet e telefone foram cancelados pela operadora Vivo, sem ele ter pedido o procedimento. “Nunca deixei de pagar e, aliás, continuo pagando, pois eles ainda cobram mensalmente pelos serviços que não estão entregando para mim. Tentei falar com a ouvidora e resolver a situação, mas nunca consegui. Exijo o ressarcimento”, queixa-se o leitor. 


Resposta 

Até a conclusão desta edição, a Vivo ainda não havia se manifestado sobre o assunto.

Enel 

O comerciante Luiz Antônio Trindade dos Santos, 58 anos, de Sapopemba (zona leste), reclama que a Enel cortou sua energia, mas ele tinha apresentado ao funcionário da concessionária um documento que comprovava que ele não devia nada à empresa. “Quero minha energia de volta. Não devo nada”, diz ele. 


Resposta 

A Enel informa, em nota enviada por sua assessoria de imprensa, que entrou em contato com o cliente e enviará, na data de hoje, uma equipe para realizar a religação e regularização da instalação.

Subprefeitura 

Há dois anos peço a poda das árvores da avenida Pompeia, mas a prefeitura não faz nada. Esses dias, uma delas caiu em um caminhão e foi a maior confusão. As árvores dessa rua são enormes e representam grande risco para quem passa por ali. Silvia Teacette, 70 anos, do Sumaré (zona oeste)


Resposta 

A Subprefeitura Lapa informa que a Avenida Pompeia está incluída no mutirão dos grandes corredores do dia 30 de novembro. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.